Ontem, em assembleia, a maioria votou pela manutenção da greve. A categoria fará novo encontro na próxima terça-feira, na sede do sindicato, em Tubarão
Ontem, em assembleia, a maioria votou pela manutenção da greve. A categoria fará novo encontro na próxima terça-feira, na sede do sindicato, em Tubarão

 

Zahyra Mattar
Tubarão
 
Esta greve nacional dos bancários já é a mais forte dos últimos 20 anos. A categoria fechou 8.556 agências de bancos públicos e privados em todos os 26 estados e no Distrito Federal (DF). No comparativo com o ano passado, 8.278 unidades em todo país pararam no pico da paralisação.
 
Na base do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Tubarão e Região (SEEBTR), 39 dos 47 estabelecimentos permanecem fechados desde a quarta-feira da semana passada, quando a paralisação começou.
Ontem, em nova assembleia, a maioria dos trabalhadores optou pela continuidade do movimento grevista. Os bancos ainda não apresentaram uma nova contraproposta aos trabalhadores. Na região, a greve completa nove dias hoje. No país são dez dias de paralisação. 
 
Na última apresentada, no dia 23 do mês passado, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou um índice de reajuste de 8%. O percentual é 0,6% superior ao INPC (7,4%). Por outro lado, os trabalhadores pleiteiam a participação nos lucros e resultados e reajuste de 5% mais o índice do INPC (com isso, chega a um total de 12,8%).