Tubarão

A jornalista Lysiê Santos, que sofreu um grave acidente na madrugada de 31 de dezembro de 2017, pôde retribuir nesta quarta-feira (16), todo o carinho recebido no tempo em que ficou hospitalizada. Foram 17 dias internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) e mais dez em um dos quartos da casa de saúde de Tubarão.

Nesta quarta-feira, a jornalista de 30 anos, foi ao Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina (Hemosc), em Tubarão para doar sangue. Na época do acidente, ela era editora de Geral do Notisul. “Sempre tive vontade, mas não tinha um dos requisitos necessários (mais de 50 quilos). Como passei por tudo aquilo no final de 2017 e início de 2018 acreditava que não poderia doar, mas deu tudo certo. Os funcionários do Hemosc foram bem receptivos e lembraram da campanha”, expõe.

Lysiê conta que foi uma excelente experiência de retribuição e agradecimento. “Estava um pouco apreensiva de não poder colaborar devido ao acidente. Fico feliz em poder colaborar e também salvar outras vidas. Hoje consegui fazer o que sempre vontade”, afirma.  

No ano passado, familiares e amigos de Lysiê mobilizam-se em torno de campanha de doação de sangue em nome da jornalista. Aqueles que quiserem colaborar com o Hemosc devem ir até a unidade que fica na rua Santos Dumont, no Centro, de Tubarão, das 7h às 13h.

Para fazer a doação, é preciso seguir alguns critérios. O doador precisa ter de 16 a 69 anos, estar em boas condições de saúde e pesar acima de 50 quilos. Para os menores de 18 anos, é obrigatório o acompanhamento dos pais ou responsáveis na hora de doar. A idade limite para realizar a primeira doação é de 60 anos.

Quem realizou cirurgia, exame invasivo (endoscopia ou colonoscopia) ou fez tatuagem recentemente, o Hemosc recomenda que aguarde seis meses para fazer a doação. O uso de alguns medicamentos também pode ser um impedimento, mas cada caso é analisado na hora da triagem.