Zahyra Mattar
Tubarão

Já era hora do governo brasileiro ousar na ampliação do modal ferroviário a fim de competir com países mais desenvolvidos. O primeiro grande passo em direção à concretização da construção das Ferrovias Litorânea Sul e Leste-Oeste é uma reivindicação antiga do estado junto à União diante as dificuldades de acesso aos portos, ditadas pela precariedade das rodovias.

Esta questão de logística é uma lacuna no crescimento econômico catarinense, não apenas do sul, como se imagina. Especialmente no que diz respeito à exportação. A construção de ambas as ferrovias beneficia todo o país, já que o complexo portuário do estado apresenta a segunda maior taxa de crescimento das Américas, conforme dados da própria presidência da república.

Na sexta-feira, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) lançou o edital para a realização dos estudos de impacto ambiental e dos serviços de arqueologia para obtenção do licenciamento ambiental para a obra de construção da Ferrovia Litorânea Sul. A entrega das propostas ocorrerá no dia 26 de junho. O orçamento para a revisão e atualização dos estudos de viabilidade e ambiental é de R$ 3 milhões.

A obra está orçada em R$ 945 milhões e deve ser finalizada até 24 meses após a contratação das empresas, prevista para o começo do próximo ano. O Dnit pretende lançar a licitação para contratação das empresas ainda neste ano. A licitação para a confecção do projeto de engenharia foi lançado em 3 de abril e as duas empresas vencedoras (o trecho foi dividido em dois lotes) devem ser conhecidas nas próximas semanas.

A Ferrovia Litorânea Sul terá 236 quilômetros e interligará a Ferrovia Tereza Cristina, no sul do estado, às ferrovias da América Latina Logística (ALL), que possui quatro trechos (Porto União – Marcelino Ramos, Mafra – Porto União, Mafra – São Francisco do Sul (porto) e Mafra – Divisa com o Rio Grande do Sul através de Lages). Quando estiver pronta, a estrada de ferro ligará os portos de Imbituba, Itajaí e São Francisco do Sul à malha férrea nacional.