O fim de semana foi de muito aprendizado para novos dirigentes de unidades das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes). Em Florianópolis, o 7º Curso de Presidentes das Apaes de Santa Catarina, promovido pela Federação das Apaes do Estado (Feapaes-SC), reuniu o comando das 195 unidades espalhadas pelo território catarinense.

“Temos 50% de novos presidentes e, assim como nós fazemos a capacitação para todos os profissionais que trabalham nas Apaes, é muito importante a capacitação dos dirigentes. Eles têm que ter um norte, têm que saber como trabalhar dentro das Apaes, com toda a diretoria, em consonância com toda a equipe da escola para que o atendimento seja de excelência”, afirmou a presidente da Feapaes-SC, Lorena Starke Schmidt.

Para ela, o encontro é uma oportunidade de troca de experiências entre os dirigentes. “Além das capacitações de assuntos que achamos muito importantes, há uma conversa entre os presidentes para eles passarem, um para o outro, os casos de sucesso e as atitudes para um melhor funcionamento de suas Apaes.”

No encontro, os dirigentes deram destaque aos 15 anos da chamada Lei das Apaes, que garantiu um percentual da arrecadação do Fundo Social para as entidades. A lei, de autoria do presidente da Alesc, deputado Julio Garcia (PSD), representou um marco histórico no desenvolvimento das Apaes. “Elas eram uma coisa antes, com muita falta de recursos, muitos eventos para suprir as necessidades. Depois, deram um salto de qualidade, tanto na estrutura quanto na equipe multiprofissional, aquisição de materiais, pagamento de funcionários da equipe multidisciplinar, que fazem um atendimento especial para os alunos, além dos professores que são da parte pedagógica”, avaliou Lorena Starke.

Parceria

O deputado licenciado Dr. Vicente Caropreso (PSDB) representou a Assembleia Legislativa na abertura do encontro, na tarde de sábado (7), e destacou a parceria entre as Apaes e a Alesc, por meio da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência. “Sou presidente, agora licenciado, dessa comissão, uma responsabilidade altíssima. Nossa comissão é coirmã das Apaes, que dependem muito dessa comissão para fazer seus encontros. Não só da comissão, mas da Alesc inteira, porque juntamos nossos destinos”, ressaltou o parlamentar.

Caropreso também fez questão de elogiar a iniciativa do atual presidente que mudou a realidade das Apaes. “Começou com Julio Garcia e a gente tem a responsabilidade de manter esse nível de atendimento e de atenção a todas as pessoas que não tinham um tratamento razoável”, disse o deputado.

Alerta

O diretor financeiro da Feapaes-SC, Rogério Alves de Andrade, falou aos dirigentes sobre as responsabilidades na condução da instituição. “Os dirigentes são voluntários, e a partir do momento que assumem o compromisso com as Apaes, têm que manter em dia. Se acaso houver qualquer problema financeiro, eles respondem criminalmente”, alertou o diretor. “Aí imagina um voluntário que está com toda a boa vontade, daqui a pouco ter todos os bens apreendidos pelo governo, receita, enfim”, completou Andrade. Ele frisou, no entanto, que os eventuais erros, em sua maioria, são por descuido, e não por má-fé.

A diretora de Ensino, Pesquisa e Extensão da Fundação Catarinense de Educação Especial, Jeane Probst Leite, destacou a importância de manter a documentação em dia para garantir o recebimento dos recursos. 

“Eles têm que nos enviar planos de trabalho e os documentos exigidos pelo governo para fazer o repasse. Muitas instituições não enviaram ainda e isso pode gerar um atraso. O dinheiro está em caixa, mas precisamos que eles nos enviem os planos de trabalho”, disse a diretora.