A estrutura de uma construção antiga foi encontrada durante escavações para a realização de obras na região da Praça Castro Alves, em Salvador, e a prefeitura da capital baiana investiga se ela pertencia ao Teatro São João, fundado no século XIX.

De acordo com Claúdio Tinoco, secretário de Cultura e Turismo de Salvador, a estrutura foi identificada em meados deste mês e se assemelha com uma fonte. A suspeita é que ela seja um chafariz que pertencia ao Teatro São João.

“Os indícios levam para essa possibilidade. A estrutura aponta uma relação com o Teatro São João. Nós fizemos uma reunião na segunda-feira (23), e ficou essa vinculação, essa sugestão. Por outro lado, a arqueologia ficou de estender os estudos, através de bibliografia, visando investigar a vinculação, comprovar a relação. Pela estrutura, tudo indica que seja uma fonte que pertencia ao teatro. Além disso, tem uma formação de uma escadaria, que estaria no entorno dessa fonte”, contou.

O secretário contou ainda que todos os achados são investigados por arqueólogos, além de contarem com o apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Ele conta também que não é o primeiro achado durante as obras de requalificação na região.

“A arqueologia que nós estamos executando é uma prospecção, não é um estudo. Ela visa que a gente identifique possíveis achados, para que as obras de requalificação não passem por cima dessa estrutura. É preciso a catalogação. Não é nosso primeiro achado. Já tivemos outros achados durante a requalificação. Entre eles, tivemos no relógio de São Pedro uma fonte com a presença de ossadas”, afirmou.

Teatro São João

Inaugurado em 13 de maio de 1812, no aniversário do Príncipe Regente Dom João VI, o Teatro São João da Bahia foi o primeiro grande teatro de ópera do Brasil. Ele foi o quarto teatro público da Bahia e estima-se que tinha capacidade para até 2 mil pessoas. Apesar da importância, a estrutura foi destruída durante um incêndio que ocorreu em 1923.

Antes disso, ainda em 1881, o largo ao entorno do teatro se tornou a Praça do Poeta, em homenagem ao poeta Castro Alves. O monumento a Castro Alves, no entanto, só foi inaugurado em 6 de julho de 1923, meses depois do incêndio que destruiu o teatro.

Segundo o historiador Ricardo Carvalho, a homenagem a Castro Alves no local foi feita por causa da relação próxima do poeta com o Teatro São João.

“O fato de Castro Alves estar ali é por causa relação dele com o teatro. Pouca gente sabe, mas ele também era dramaturgo. Ele fez várias peças de teatro, ele tinha uma relação muito próxima com o teatro. Nesse sentido, a presença de Castro Alves na apraça tem mais relação com o lado dele dramaturgo, do que com o poeta em si”, afirmou.

O historiador contou ainda que o teatro influenciou em vários aspectos na região. A Rua Carlos Gomes, que começa na Praça Castro Alves, foi batizada em homenagem à relação do compositor Carlos Gomes com o local.