Andréa Raupp Alves
Tubarão

A expectativa otimista tornou-se realidade: os números de novas vagas de empregos em Tubarão, entre janeiro e novembro deste ano, chegou a 2.903. Desse total, o setor de serviços foi o destaque. Empregou 1.093 pessoas. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho.

Talita Bruno Teixeira Scarduelli, 26 anos, virou estatística. Ela trabalha como monitora de vigilância eletrônica, em Tubarão, há três meses. “Deixei o meu currículo lá e eles me chamaram. Fiquei muito feliz, pois esse emprego é melhor do que eu tinha anteriormente, e tenho chances de crescer profissional e financeiramente”, explica.
A monitora é casada e as despesas de casa são divididas entre ela e o marido. “O salário é bom e o período de trabalho também, pois meu turno é das 6 às 18 horas e trabalho 12 horas e folgo 36”, informa.

Empregos
Para se ter uma ideia, só no mês de novembro, o setor de serviços gerou 262 novos empregos, enquanto o comércio (segundo colocado do mês) ficou com 203. De janeiro a novembro, esses números pulam, respectivamente, para 1.093 e 519.

O secretário de indústria e comércio da prefeitura de Tubarão, Estener Soratto da Silva Júnior, explica que a cidade está se tornando um polo regional do setor de prestação de serviços, com destaque para saúde e mão-de-obra. “Outro fator que contribuiu muito para esse aumento é a conscientização dos profissionais liberais, que começaram a abrir os olhos e se registrarem legalmente. Além disso, os índices do Imposto Sobre Serviços (ISS) consequentemente aumentaram”, destaca.

Entenda os números anuais

Nos dados do Caged, o setor que menos cresceu em Tubarão neste ano foi o agropecuário, onde foram empregadas 34 pessoas, porém, 37 se desligaram do trabalho. Na sequência, em ordem crescente, vem serviço de indústria e utilidade pública, com quatro novos empregados na área; extrativa mineral, com sete; construção civil, com 299; administração pública finalizou o ano, em 440; comércio, com 519; indústria de transformação chegou a 544; e, por fim, serviços, com 1093. Chegando ao total de 2.903.

Em Laguna, os números mudam e os setores também. Na cidade, a área que mais empregou no ano foi a agropecuária: 77 novos empregos. Em segundo lugar, fica a indústria de transformação, com 25; a construção civil empregou 24 pessoas; o comércio, 17; extrativa mineral e serviço indústria de utilidade pública empataram com 2 novos empregos; e, por último, está o setor de administração pública, que ficou no negativo (um empregado desligado).

Na cidade de Imbituba, o destaque foi a construção civil, com 143 novas vagas. Em seguida vem administração pública, com 50; o comércio empregou 42; extrativa mineral com 13; agropecuária com dez; indústria de transformação com oito pessoas; e os serviços com menos 19 e serviço indústria de utilidade pública com menos 21 empregados.

Desempenho mensal

No mês de novembro, a cidade de Tubarão registrou aumento no setor de serviços (262), enquanto o comércio (destaque em outubro) fechou o período com 263 novos empregos. O setor que menos cresceu foi a agropecuária, onde três foram contratados e sete desligados das suas atividades.
Na cidade de Anita, o setor de serviços aumentou com a contratação de 35 pessoas; já na outra ponta, ficou a agropecuária, com menos 35. Em Imbituba, foram criados 26 novos empregos no setor de serviços, mas em indústria de formação fechou o mês em seis negativo.