Dalmir Pinto (PP) e Nego do Frizzo (PP) foram diplomados ontem à tarde. Posse oficial ocorre às 19 horas, no Centro de Eventos José Antônio da Silva.

Sangão

O novo prefeito de Sangão, Dalmir Carara Cândido (PP), e seu vice, Valdeci Serafim (PP), foram diplomados na tarde de ontem, no Cartório da 33ª Zona Eleitoral, em Tubarão. Ambos venceram as eleições suplementares do dia 2 de abril com 3.680 votos. O juiz Eron Pinter Pizzolatti comandou a solenidade e destacou que foi a primeira vez que ocorreu um pleito suplementar na Amurel. “Tivemos, pela primeira vez, uma eleição suplementar na região. E agora finalizamos nossos trabalhos eleitorais”, afirma.

A posse para o mandato 2017-2020 está marcada para esta sexta-feira, às 19 horas, no Centro de Eventos José Antônio da Silva, no centro de Sangão.

Dalmir destaca que o objetivo é dar continuidade aos trabalhos iniciados pelo ex-prefeito Castilho Silva Vieira e buscar recursos para iniciar novas obras. “Já estivemos em Brasília para buscar recursos para pavimentação de ruas e conseguimos emendas para investimentos na saúde. Na próxima semana vamos a Florianópolis correr atrás de novas parcerias para continuar desenvolvendo o município”, destaca.

Conhecido como Dalmir Pinto, o novo prefeito recebeu 3.680 votos na eleição suplementar. O adversário, Herivelto de Castro Reynaldo (PMDB), conseguiu 3.453 votos.

Sangão teve de fazer nova eleição para prefeito após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ter negado, por unanimidade, o registro de candidatura de Castilho Silvano Vieira (PP).

Ele foi considerado inelegível para o cargo, pois, na avaliação do Tribunal, iria cumprir um terceiro mandato, situação vedada pela Constituição Federal.

Prefeito interino retorna à Câmara de Vereadores
Com o registro de candidatura do prefeito reeleito Castilho Silvano (PP) impugnado, o presidente da Câmara de Vereadores Anderson de Souza (PP) assumiu o poder executivo por 110 dias. O primeiro mandato do vereador iniciou com o desafio de comandar a prefeitura. Anderson afirma que a experiência foi válida.

“O desafio foi grande. Mas conseguimos nesse tempo agilizar algumas ações como a reforma do posto de saúde, calçamento de ruas e outras melhorias. Agora retorno a exercer o cargo ao qual fui eleito”, enfatiza o vereador mais votado com 619 votos. A partir da próxima semana, o vereador reassume a presidência da casa legislativa. Com a saída do vice-prefeito Valdeci Serafim (PP) da Câmara, o suplente Gregório Antônio da Rosa (PP) assume uma cadeira na casa.

Castilho continua atuando na política e apoiando os novos gestores
O recurso de Castilho Silvano Vieira (PP) foi considerado constitucional pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Ferreira Mendes e na última semana chegou a Corte Suprema. O ex-prefeito está confiante de que o recurso possa ser deferido. “Os advogados estão confiantes de que podemos reverter o caso. Porém, mesmo que o recurso seja deferido, no momento não pretendo assumir a prefeitura. Também não vou assumir nenhum cargo na nova gestão, apenas auxiliá-los no que for necessário”, pontua.

Reeleito prefeito de Sangão em outubro passado, mas com o registro de candidatura cassado pelo TRE com a sustentação de que estaria indo para um terceiro mandato, Castilho alegou violação aos artigos 14 e 79 da Constituição Federal, com a justificativa de que o fato de ter substituído o prefeito quando era vice, em 2012, dentro dos seis meses anteriores à eleição não a equipara à sucessão, inexistindo parâmetro normativo constitucional que possibilite tal interpretação. Agora é aguardar o posicionamento do relator.

Foto: Lysiê Santos/Notisul