Wagner da Silva
Braço do Norte

Os partidos políticos dispostos a concorrer no pleito para prefeito e vice-prefeito de Braço do Norte devem apresentar os seus candidatos até a próxima terça-feira, conforme determinou o Tribunal Regional Eleitoral (TRE). A eleição ocorrerá no dia 1º de março. Desde outubro do ano passado, com a possibilidade da rejeição do resultado das urnas, as siglas já articulavam. Neste fim de semana, as convenções serão feitas para definir os nomes concorrentes.

A reunião mais esperada é do Democratas. O encontro será às 10 horas de amanhã, na câmara de vereadores. O prefeito interino de Braço do Norte, Ronaldo Fornazza (ele elegeu-se vereador em outubro de 2008 e assumiu o cargo por ter sido alçado à presidência do legislativo), é muito cotado entre os membros do partido e a população da cidade para concorrer à vaga.

A mesma sigla tem Charles Teodoro Bianchini. Ele participou do pleito anterior como vice de Ademir Matos (PMDB, que teve a candidatura impugnada). De qualquer forma, existe um murmuro muito forte de que Fornazza deveria sair como candidato à prefeitura. Há quem afirme que uma chapa pura do Democratas não esteja descartada.

Por outro lado, a presidenta do partido, Catea Albertina Alberton, adianta que o combinado é manter o apoio à coligação estabelecida em outubro de 2008. “Acredito que isto deverá ser mantido. A discussão deverá ser em torno de quem será lançado a vice do PMDB. Há dois nomes na pauta”, minimiza a presidenta, ao se referir a Fornazza e Bianchini.

Convenção do PT e do PSDB será domingo
Tanto o PT como o PSDB reúnem os seus diretórios domingo. Os tucanos encontram-se às 19 horas, na Câmara de Vereadores de Braço do Norte. O posicionamento do partido, segundo informa o presidente André Leandro Richter, dependerá de quem serão os candidatos. “Nosso compromisso com o PMDB foi cumprido e, desta vez, não houve qualquer contato formal com a sigla. Nossa tendência é apoiar o prefeito interino Ronaldo Fornazza (DEM). Ele correspondeu aos nossos anseios, é inovador e tem respeito de vários partidos”, revela Richter.

O presidente diz que não está descartada a possibilidade de lançar um vice para compor com Fornazza ou até mesmo sair em chapa pura. Segundo Richter, o PP também apoia a ideia de coligar com Fornazza. Já o PT, reúne-se às 20 horas de domingo, no Centro Comunitário Conrado Niehues, no bairro São Basílio. O presidente, Valberto Michels, afirma que foi procurado por outros líderes partidários, mas a decisão só será divulgada no domingo. Em outubro, o PT saiu com chapa pura. “Temos bons nomes para a disputa, tanto para uma eventual composição ou em chapa pura”, destaca Michels.

PMDB é o único que já definiu a candidata
Pelo PMDB, único partido que já definiu uma candidata às eleições de março (Zalene Matos – esposa de Ademir Matos) -, a coligação de outubro será mantida. O diretório reúne-se das 10h15min às 15 horas de amanhã para delinear a estratégia de campanha. “O nome de Zalene está certo. Também definimos não fazer qualquer conversação com o PP. O resultado deverá ser homologado até a última hora de domingo”, pontua o presidente da sigla, Joaci Nunes.

Os outros partidos que compunham a coligação de outubro (PTB, PSB, PPS, PDT e PRB) continuam firmes. Todas as siglas reúnem-se amanhã, às 16 horas. “Nossa decisão é de apoio incondicional ao PMDB, como definimos antes. Não faremos nenhum outro acerto”, ratifica o presidente do PTB, Roberto Effting.