Zahyra Mattar
Tubarão

Peemedebistas de 14 municípios da região do sul catarinense reuniram-se na noite de quinta-feira com o presidente estadual do partido, Eduardo Pinho Moreira, e com lideranças estaduais para costurar a substituição do governador Luiz Henrique da Silveira no próximo ano. Os encontros ocorreram em Braço do Norte e Tubarão.

A sigla terá o último ano de Luiz Henrique ofuscado pelo acordo entre os partidos que formam a aliança. Ficou definido em 2006 que LHS cederia o mandato no fim deste ano em favor do vice-governador Leonel Pavan (PSDB). “O problema é que cedemos muito. O PSDB e o Democratas crescem nas nossas costas. Apesar disso, somos o maior partido político deste país”, exclamou Moreira, no encontro em Tubarão.

O ex-governador catarinense já remeteu quais as diretrizes para as eleições do próximo ano. A primeira delas é que o PMDB não abrirá mão, sob qualquer argumentação, de concorrer com candidatura própria. Moreira também não escondeu o anseio por ter o seu nome como o mais contado para ser o ‘candidato a pré-candidato’ em 2010.

“O PMDB não vai abrir mão de ter candidato, não tem como o maior partido do estado, aprovado nas urnas pelos catarinenses, ficar fora. Trata-se de uma vontade popular, por isso, estamos ouvindo a militância e a população para construir propostas conjuntas rumo a mais quatro anos de governo”, destacou.

Moreira pediu aos líderes do partido na Amurel que se unam em favor deste propósito. Considera que dificilmente haverá outra oportunidade. Em Tubarão, a falta de nomes como os dos vereadores Maurício da Silva, Ivo Stapazzol e Geraldo Pereira, o Jarrão, chamaram a atenção do ex-governador. “Vou ligar para os três. Não há sentido não estarem aqui”.

O pivô do desafeto entre os peemedebistas de Tubarão, deputado estadual Genésio Goulart, não foi ao encontro.