Amanda Menger
Tubarão

Contentar os interesses do PMDB, DEM e PSDB em uma nova reedição da tríplice aliança é o desafio do governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB). Durante a missão internacional a quatro países, os peemedebistas anunciaram que o partido realizaria prévias para decidir quem será o candidato a governador. Ao voltar ao estado, LHS tratou de desdizer o partido.

Quando cumpriu agenda na região no fim do último mês, o ex-governador Eduardo Moreira (PMDB) foi companhia inseparável de Luiz Henrique. O governador defendeu que não há necessidade de prévias, já que há apenas um pré-candidato. “A intenção é a manutenção da tríplice com o PMDB na cabeça-de -chapa. Temos que mostrar aos demais partidos que isso é o melhor a ser feito. Somos o maior partido do estado”, afirma Eduardo. O PSDB trabalha com o nome do vice-governador Leonel Pavan para ser o candidato ao governo. Já o DEM, sugere o nome do senador Raimundo Colombo ao cargo.

Segundo Eduardo, o movimento de aproximação entre o PMDB e o PT para a presidência da república não tem eco no estado. “A nossa realidade é diferente. A tendência é, se confirmada a tríplice aliança, o PMDB apoiar a candidatura de José Serra, do PSDB, à presidência da república. Mas não há nada definido. A decisão será da convenção estadual”, declara o ex-governador.