Brasília (DF)

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto, defendeu a criação de uma “lista suja” com o nome de todos os candidatos a cargos eletivos que tenham algum tipo de condenação contra si ou que respondam a processos.

De acordo com o ministro, o TSE publicará em seu site o nome dos candidatos com pendências judiciais para orientar os eleitores já no pleito de outubro. “A Justiça Eleitoral tem o dever de informar quanto ao eventual passivo do pré-candidato e, no plano da plenitude e qualidade da informação, o TSE cumprirá seu dever”, afirmou o ministro.

Voto vencido no último julgamento em que o tribunal avaliou a possibilidade de negar registro a candidatos com ficha suja, Britto explica que a postura de publicar os nomes dos políticos e os crimes a que respondem, ou pelos quais tenham sido condenados, tem por objetivo dar mais transparência ao processo eletivo. “Não se trata de uma temporada de caça às bruxas. É uma temporada de caça aos votos, aos padrões éticos, ao respeito à vontade do eleitor”, disse.

O TSE, que na última semana respondeu a uma consulta autorizando candidaturas de envolvidos em processos judiciais, poderá rever sua postura, explicou o ministro, assim que chegar para julgamento um caso concreto de um político que teve sua candidatura rejeitada por não estar quite com a justiça.