Laguna

“A melhor maneira de amenizar o acesso às drogas é de forma preventiva. Hoje, a droga é tratada de forma repressiva, este é o erro”. A observação é do ativista social MV Bill (foto). Ele ministrou uma palestra gratuita ministrada para jovens no Centro Cultural Santo Antônio dos Anjos, em Laguna, terça-feira.

Reconhecido pela Unesco como um dos dez ativistas mais importantes da última década, MV Bill aproveitou a ocasião para lançar o livro Falcão Mulheres e o tráfico. A obra é o relato de mulheres e meninas no cotidiano do tráfico de drogas, uma continuação do livro e documentário Falcão Meninos do Tráfico.

Segundo o ativista, as mulheres geralmente vivem nas “periferias do crime”, auxiliando os traficantes em pequenos serviços. “Verificamos que é muito grande o abandono dos familiares quando as mulheres são presas. A mulher, seja ela viúva, esposa ou mãe, sofre até três vezes mais que os homens nesse mundo do tráfico”.

Bill também falou da importância dos movimentos sociais e dos efeitos devastadores do de crack. Segundo ele, esta droga instala-se com mais gravidade nas classes mais baixas e vicia rapidamente. A palestra foi promovida pela organização Cufa/Laguna, com apoio da secretaria de saúde da prefeitura.