Dona Morte alerta para locais e situações que podem colocar a vida das pessoas em risco. É o caso da ponte da Jabuticabeira, em Jaguaruna, e a BR-101, entre Capivari de Baixo e Laguna
Dona Morte alerta para locais e situações que podem colocar a vida das pessoas em risco. É o caso da ponte da Jabuticabeira, em Jaguaruna, e a BR-101, entre Capivari de Baixo e Laguna

 

Zahyra Mattar
Tubarão
 
Tudo começou com a queda do terceiro carro na ponte de Jabuticaneira, na comunidade de Jaguaruna. O cidadão arrumou uma roupa e uma foice, no melhor no estilo Dona Morte, uma máscara que remete ao filme Pânico, e protagonizou imagens que ganharam o país por meio da red e social Facebook.
 
O tom sarcástico e irônico, mas de cunho educativo e reivindicativo, das imagens logo ganhou adeptos. O cidadão (ou cidadã) anônimo ampliou o debate. O objetivo principal é alertar para locais e situações que colocam a vida das pessoas em risco. Na sexta-feira 13, semana passada, deu uma corrida pela ponte de Jabuticabeira para mandar a mensagem:
 
“Hoje é sexta-feira 13. Para onde vou?”. A mensagem em nada tira proveito das três tragédias que ocorreram no local, mas tem a intenção de chamar a atenção das pessoas para cuidarem de si. Em outro protesto bem humorado, Dona Morte foca na BR-101.
 
Em uma das imagens, surge autoritária ao lado da placa que faz a indicação das velocidades máximas, para carros e caminhões, na parte já duplicada da rodovia.
 
Um alerta para os apressadinhos, que colocam a sua vida e das outros em risco. Em outra, Dona Morte cobra a finalização das obras. Dá o tom de que não aguenta mais tanta demora e tanto trabalho por conta da grande quantidade de acidentes.