Amanda Menger
Tubarão

Por mais que se fale da preservação do meio ambiente, ainda assim há pessoas que jogam lixo em locais inadequados, como as barrancas do Rio Tubarão. E uma cena destas cenas foi observada ontem pelo caminhoneiro Gilmar Garcia, de Tubarão. Ao passar pela avenida Getúlio Vargas, no centro da cidade, próximo à Dilney Chaves Cabral, ele percebeu restos de uma festa, com bolo, copos e pratos descartáveis.

“Isso é um absurdo. Fala-se tanto em redragagem do rio, no corte de árvores e as pessoas continuam jogando lixo? Como querem preservar a natureza se não conseguem nem jogar o lixo na lixeira? Falta educação e consciência. Depois reclamam que os bueiros entopem e as ruas alagam. A população só sabe falar que o poder público não faz nada, mas ela também é culpada”, queixa-se o caminhoneiro.

O secretário de serviços públicos da prefeitura, Fabiano Bitencourt, não recebeu nenhuma reclamação de lixo jogado nas margens do rio. “A manutenção das beiras-rio, com a limpeza e o recolhimento de lixo, é uma tarefa da secretaria de serviços públicos da prefeitura, mas precisamos do auxílio da população, em informar os problemas e fazer as denúncias. Providenciarei a limpeza o mais rápido possível”, garante o secretário. Mesmo com a promessa do secretário, até o fechamento desta página, às 19h30min de ontem, o lixo continuava no local.