Florianópolis

Educação, ética, direitos e deveres, prevenção à corrupção e segurança são exemplos de temas discutidos com os mais de quatro mil estudantes que já participaram do Programa Cultivando Atitudes. Desenvolvida há dez meses, a iniciativa tem como objetivo repassar noções de cidadania, nortear os debates sobre as condições sociais que envolvem crianças e adolescentes de Santa Catarina e, ainda, falar sobre as atribuições do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).

Fomentado pelo MPSC, o Programa Cultivando Atitudes foi elaborado, durante o segundo semestre de 2016, e colocado em prática a partir de outubro de 2017. Desde então, mais de 20 instituições de ensino catarinenses receberam a visita de Procuradores e Promotores de Justiça, que se propõem a levar uma aula diferente para os alunos de escolas públicas e privadas, além de explicar sobre a atuação da Instituição.

Para auxiliar o diálogo e a fixação das discussões dos encontros, os alunos participantes recebem um kit composto por uma mochila ecológica, um marca-páginas com mensagens explicativas do projeto, folders, um estojo e um lápis. Na lateral de cada lápis, há frases motivacionais com incentivo às boas práticas, já, em uma das pontas, sementes de árvores frutíferas que podem ser plantadas, após os alunos utilizarem o lápis.

Desde maio, o procurador de justiça Murilo Casemiro Mattos realizou 14 encontros em escolas e instituições públicas da Capital, nas quais atingiu 1.527 participantes, e já está programando visita a escolas privadas. “O Cultivando Atitudes é um caminho para o conceito de ética e compartilha uma visão mais humanista entre as pessoas. Com o Programa, atingimos uma faixa etária importante para realizar um trabalho mais preventivo e menos repressivo”.