Buracão na SC-438, em Braço do Norte, fica em uma curva. Um perigo para um motorista desavisado que precise usar o acostamento.
Buracão na SC-438, em Braço do Norte, fica em uma curva. Um perigo para um motorista desavisado que precise usar o acostamento.

Zahyra Mattar
Braço do Norte

Dois 'buracões' imensos preocupam os gestores de duas cidades do Vale. Um deles ficam em Braço do Norte, nas proximidades do Neblina Motel, na SC-438. A cratera tem aproximadamente quatro metros de largura por cinco metros de profundidade.

Acidentes já foram registrados porque o local, até há pouco tempo, não estava sinalizado. Uma pessoa, de bicicleta, voltava do trabalho à noite e caiu no buraco. Depois disso, placas delimitaram o pequeno espaço que sobrou para os pedestres.

Porém, como a cratera fica em uma curva, há risco de algum motoristas desavisado desabar morro abaixo se precisar usar o acostamento e não ver as placas. Na SC-439, em Grão-Pará, a situação é ainda pior. O buracão já engoliu uma das pistas da rodovia que liga o município a Braço do Norte.

Ontem, o secretário de desenvolvimento regional em Braço do Norte, Gelson Padilha (PSDB), esteve na secretaria estadual de infraestrutura para reivindicar obras emergenciais. Relatórios que apontavam estes mesmos problemas já haviam sido entregues no fim do ano passado.

"Levei outros documentos. São dois pontos críticos. Claro que toda a extensão destas rodovias precisa de recuperação, mas nestes dois locais é urgente. O secretário Valdir Cobalchini garantiu que algo será feito em dez dias", confirma Padilha.

Recuperação sem data para  sair do papel
A reforma no trecho entre Tubarão e Gravatal, o pior de toda a extensão da SC-438, ainda não tem data para ser feita. A licitação para a obra foi finalizado no dia 9 de novembro do ano passado. A vencedora foi a empresa Coenco Engenharia e Construções, de Criciúma. Desde então, é esperada a entrega da ordem de serviço. O mesmo ocorre com a SC-100, entre a balsa de Laguna e o Camacho, em Jaguaruna, com um ramal para o Farol de Santa Marta.

Neste caso, porém, a ordem de serviço foi entregue no dia 19 de dezembro do ano passado. Até o momento, as empresas vencedoras – a Construtora Setep, de Criciúma, para o trecho de asfalto, e a A. Mendes, de Gravatal, ao de lajotas – não montaram seus respectivos canteiros de obras.