Laguna

 

Após quatro meses de defeso em todo o complexo lagunar, o camarão já pode ser capturado nas lagoas da região. A paralisação da pesca visa resguardar o período de procriação e crescimento do crustáceo.
 
Em Laguna, hoje, cerca de 1,5 mil pescadores artesanais, divididos em 46 comunidades, vivem da captura do camarão. Com este fim de semana prolongado, devido ao feriado da próxima terça-feira, a volta do camarão para o cardápio fará a festa de turistas.
 
A pesca do crustáceo também chama a atenção. Durante o dia, as redes ficam suspensas na lagoa de Santo Antônio dos Anjos. À noite, elas vão para o fundo e as lâmpadas utilizadas para atrair o camarão ilumina a lâmina da água.
 
A safra começa agora e segue até fevereiro, quando um novo defeso começa. Para o presidente da Colônia de Pescadores de Laguna, Antônio Manoel de Souza, a expectativa é grande, pois ocorreram poucas chuvas na época do defeso, a água teve grande salinidade e isso ajudou no crescimento do crustáceo.
 
Para aumentar a produtividade, a prefeitura realizará, no próximo dia 23, um pregão presencial para a aquisição de uma draga de sucção e recalque. O equipamento será utilizado para o desassoreamento dos canais que fazem a ligação do mar com a lagoa Santo Antônio dos Anjos.
 
Movimentação econômica
O ‘camarão da Laguna’ tem fama nacional. Dificilmente, quem visita a Cidade de Anita volta para casa sem provar as maravilhas feitas com a iguaria. Nesta época, o crustáceo é responsável por uma boa parcela do giro econômico municipal.
E quem mora pertinho da cidade tem o privilégio de comprar o produto com preço especial, já que é vendido fresco pelos próprios pescadores, sem intermediários. Nesta temporada, os preços variam entre R$ 9,00 e R$ 25,00, dependendo do tamanho e também sua apresentação (com casca ou sem).