No fim da manhã desta quinta-feira (01), dois corpos foram encontrados decapitados e enterrados em uma residência no bairro Piauí, na cidade de Parnaíba, região Norte do Piauí. De acordo com a Polícia Militar, o local onde os cadáveres foram encontrados funcionaria como ponto de venda de drogas. 

As vítimas foram encontradas entre o muro e a varanda da residência, que está abandonada. Equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas para ajudar nas escavações.

“Foi feito um buraco e jogaram dois corpos, que foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar e a perícia. Os corpos foram resgatados e continuam as buscas para encontrar as cabeças”, afirmou o Major Rivelino de Moura, que destacou que as duas pessoas estavam enterradas a cerca de 1, 5 metro de profundidade. 

De acordo com o apurado pelo repórter Kairo Amaral, quando a Polícia Militar chegou à residência, quatro homens deixavam o local, mas, os mesmos não foram abordados porque ainda não havia indicios de crimes. Moradores da região teriam ouvido gritos de socorro vindos da residência na noite da última quarta-feira (28). 

Segundo o sargento Fabriciane, da Polícia Militar, as duas cabeças foram encontradas posteriormente no mesmo buraco onde as vítimas estavam. O militar afirmou nunca ter visto uma cena tão chocante em anos de profissão.  

“Pelo que a gente viu não foi dado direito de defesa às vítimas, estavam todas amarradas, tem uma que foi cortada ao meio, cortaram as cabeças. Então, é uma cena lamentável”, afirmou. 

Um dos corpos foi identificado na tarde deste sábado (03), no Posto Avanço do IML de Parnaíba, por familiares que reconheceram. A dúvida foi tirada por conta de um implante dentário que ele havia feito. 

O homem se trata de Paulo Henrique Lima Caldas, 48 anos, que era professor de Inglês e estava desempregado. Henrique era natural de São Luís Estado do Maranhão e trabalhou em Tutóia. Além da cabeça decepada, teve o corpo partido ao meio.

Ele se sustentava de aluguel de casas, sendo uma em Parnaíba (PI) e outra em São Luís (MA), de onde era enviado o dinheiro por sua mãe. Uma das tias de Henrique, que não quis se identificar, disse que seu sobrinho era usuário de drogas. O enterro será em Água Doce (MA).