“Além da azitromicina, da cânfora e tudo mais, vamos oferecer ozônio. É uma aplicação simples, rápida de dois a três minutinhos por dia (…). Vamos em breve estar implantando isso também. A pessoa tem que fazer sessões por dez dias seguidos”, disse o prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni (MDB), nesta terça-feira (4), em uma live no Facebook.

A informação é de que ele teria inscrito o município na Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), para disponibilizar uma nova opção de tratamento para a população contra o novo coronavírus.

A intenção é de que seja oferecida num primeiro momento, apenas para pessoas com resultado confirmado para a covid-19. “Estamos providenciando todas as acomodações, os aparelhos, todo o kit necessário para poder aplicar ozônio“, expõe o prefeito.

 

Utilização do ozônio

O Conselho Federal de Medicina emitiu uma resolução em julho de 2018, em que determina a utilização da ozonioterapia apenas em caráter experimental. Ou seja, implica que tratamentos médicos baseados nessa abordagem devem ser realizados apenas no escopo de estudos que observam critérios definidos pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).

 

Prefeito e médico

Volnei Morastoni graduou-se em medicina pela Universidade Federal do Paraná e especializou-se em pediatria pelo Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná e em saúde pública pela Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro. No início de sua carreira ele trabalhou no Hospital Infantil Menino Jesus de Itajaí e como médico voluntário na Apae local.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul