Os vendedores Ramon (E), Charles e Aline vão aproveitar o horário de folga para torcer pelo Brasil.
Os vendedores Ramon (E), Charles e Aline vão aproveitar o horário de folga para torcer pelo Brasil.

Priscila Alano
Tubarão

A Copa do Mundo é o evento esportivo de maior impacto no cotidiano do brasileiro. Esporte ‘oficial’ do país, não quem resista quando a seleção entra em campo com a camisa amarela decoradas com cinco estrelas.

Em Tubarão, entidades como o Sindilojas, a Associação Empresarial de Tubarão (Acit) e a Câmara de Dirigente Lojistas (CDL) ainda não definiram o horário de funcionamento do comércio nos dias de jogos do Brasil. A orientação é que os empresários fechem e dispensem os funcionários meia hora antes e depois dos jogos.

O presidente do Sindilojas, José Masiero, considera que é comum o fechamento das lojas e época de Copa. “Nossos funcionários desejam acompanhar os jogos. Os clientes também não aparecem. Afinal, Brasil na Copa é Brasil na Copa. Não tem jeito. Todos quere ver”, pontua Masiero, em tom divertido.

Ele antecipa que o sindicato patronal não pretende baixar um decreto para diferenciar o horários durante o Mundial. “Cada empresário decide”, reforça Masiero. O mesmo ocorre no Farol e no Praça shopping. A administração de ambos os empreendimentos orientou os proprietários a manterem as lojas abertas, porém, cada um tem liberdade para fazer o que considerar melhor.

Vacina para quem for viajar

Os brasileiros que acompanharão os jogos da Copa do Mundo na África do Sul devem vacinar-se contra a febre amarela. Isso porque a apresentação do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) é obrigatória para a entrada de viajantes ao país-sede do Mundial.

Os torcedores sem o documento são barrados de entrar no país e não tem ‘chorumelas’ são enviados para casa. Para a emissão do documento, é necessário que o viajante esteja com a vacina válida. A proteção dura dez anos.
Tubaronense que estão de viagem marcada e não aplicaram a vacina ainda, tem a opção de adquirir a dose na Clínica Pró-Vida.

Serviço
Mais informações pelo telefone (48) 3631-1532.