Laguna

O convênio com a Secretaria de Infraestrutura do Estado para o repasse dos recursos para a pavimentação asfáltica da rodovia municipal João Batista Whendhausen Moraes, num total de 4,8 quilômetros, no valor de 4.274.480,57 foi assinado pelo prefeito Mauro Candemil. A obra da estrada que liga o Bananal à Ponta Daniel, no Distrito de Ribeirão Pequeno, contempla drenagem pluvial (para escoamento da água da chuva), pavimentação asfáltica, passeio público (calçadas) e sinalização turística.

No trecho serão investidos pelo governo do Estado R$ 4,2 milhões, com contrapartida da prefeitura, de R$ 400.825,50 O asfalto, esperado há mais de 50 anos, vai passar pelas comunidades de Bananal, Morro Grande, Figueira e Ponta do Daniel. A prefeitura já realizou a licitação da obra, nos próximos dias será anunciada a empresa vencedora com assinatura da ordem de serviço para o início da pavimentação.

“Este é um dos lugares mais belos do mundo. E essa obra vai trazer conforto a esta comunidade, vai permitir o desenvolvimento turístico, atividade vital para a economia. Laguna tem a vocação para história, cultura e turismo. É uma obra que vai atender a estes objetivos. Estamos muitos felizes de estar aqui”, disse o governador Eduardo Moreira.

O prefeito, Mauro Candemil, reforça importância desta obra para a comunidade. “Sabemos o que representa para as comunidades. É uma grande conquista para a população, que tanto sofria com a poeira e a lama”, assegurou.
 

O asfalto para a comunidade
 

A expectativa com a pavimentação do trecho é de avanço para a economia local e melhoria das condições de mobilidade dos moradores e acessibilidade dos visitantes.  O casal Maria Salete e José Fernandes relatou as dificuldades de residir na beira da estrada. “Várias vezes por dia temos que molhar a rua para diminuir o pó. A casa não fica limpa, passamos o dia limpando e nossa saúde fica comprometida por causa da poeira, e nos dias de chuva vira um caos, muito barro e buracos. Estamos em um lugar lindo, que parece o paraíso, mas a falta do asfalto acaba estragando e tirando a paz. A vinda do asfalto representa um salto na nossa qualidade de vida”, explicou.