Zahyra Mattar
Tubarão

O lançamento do edital de licitação para a segunda etapa (a construção do prédio) do Presídio Regional de Tubarão, no bairro Bom Pastor, será na próxima semana, às 9h30min, na secretaria de desenvolvimento regional em Tubarão. A estimativa da secretaria estadual de segurança pública é que a empresa seja definida entre 45 e 60 dias após o lançamento do edital. A primeira etapa da obra, a terraplanagem, executada pela Construtora Êxito, de Itajaí, está adiantada e poderá, inclusive, terminar antes do prazo, inicialmente de 90 dias.

Por conta das chuvas, houve questionamentos quanto a um possível atraso, mas isso é descartado pela secretaria estadual de segurança pública. “A empresa precisou ficar alguns dias se trabalhar. Mas tudo foi compensado nos fins de semana e até mesmo no feriado de 21 de abril (Tiradentes). Procuramos fazer um cronograma para que uma etapa dê continuidade a outra e não fique aquele aspecto de obra parada”, atesta Wilson da Silva, assessor do secretário Ronaldo Benedet.

A construção do novo prédio da instituição prisional de Tubarão refere-se às obras de engenharia básica (fundação do prédio, parte elétrica e hidráulica, entre outras). Terá 240 vagas e dois pavimentos. Na parte inferior, ficará toda a estrutura dos presos: celas, dois quartos para visita íntima, banheiro para os familiares, salas de revista, depósito, ambulatório, sala para advogado e cozinha com pequeno refeitório para os detentos responsáveis pela comida.

A parte superior abrange toda a estrutura administrativa, alojamento, banheiros e cozinha para os agentes prisionais. Os policiais militares, que fazem a segurança do local, também terão um alojamento, anexo ao prédio principal.

Mais informações
O terreno onde o novo prédio do Presídio Regional de Tubarão será erguido, tem 57.933,41 mil metros quadrados. A obra é orçada em aproximadamente R$ 3,5 milhões. Nem toda a área será ocupada pela edificação. A ideia do estado é fechar uma parceria com alguma indústria para que a mão-de-obra dos internos seja utilizada. A obra foi dividida em três etapas: terraplanagem, obras de engenharia básica e a última de CRC (concreto de alta resistência).