O neto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Arthur Lula da Silva, de 7 anos, morreu nesta sexta-feira (1º), vítima de meningite meningocócica, em São Paulo.

Arthur deu entrada no Hospital Bartira , em Santo André, no ABC Paulista, às 7h20 desta sexta-feira com “quadro instável” e faleceu às 12h11 “devido ao agravamento do quadro infeccioso de meningite meningocócica, segundo a assessoria da Rede D’Or São Luiz, da qual o hospital faz parte.

O que é a meningite?

As meninges são as membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. A meningite ocorre quando há uma inflamação desse revestimento, causada por micro-organismos, alergias a medicamentos, câncer e outros agentes.

Entre os agentes infecciosos, as meningites bacterianas e as virais são as mais importantes do ponto de vista da saúde pública e também as que causam mais preocupação, devido a sua magnitude, capacidade de causar surtos e, no caso da meningite bacteriana, devido à sua maior gravidade.

A meningite meningocócica, especificamente, é causada pela bactéria Neisseria meningitidis (ou meningococo). Existem 12 subtipos diferentes da meningocócica e, no Brasil, os principais sorogrupos circulantes (que causam a maioria dos casos) são B, C, W e Y.

Qual é a incidência da meningite meningocócica no Brasil?

Dados do Ministério da Saúde mostram que, em 2018, foram registradas 1.072 ocorrências de doença meningocócica no Brasil e 218 mortes. Em 2017, no mesmo período, foram 1.138 e 266, respectivamente.

Em relação à meningite pneumocócica (causada pela bactéria Streptococcus pneumoniae, ou pneumococo) foram 1.030 ocorrências e 321 mortes em 2017, e 934 e 282 em 2018. As meningites causadas por outras bactérias somaram 2.687 notificações e 339 óbitos em 2017, e 2.568 e 316 em 2018.

O sorogrupo C é o principal causador de doença meningocócica no Brasil, responsável por cerca de 60% dos casos.

Existe vacina para a meningite meningocócica? Tem no SUS?

Existem vacinas contra os principais sorogrupos que causam a doença meningocócica (A, B, C, W, Y).

A vacina para o tipo C está disponível no Calendário de Vacinação do Programa Nacional de Imunização da rede pública para os seguintes grupos:

imunização primária de duas doses, aos 3 e 5 meses de vida, e o reforço, preferencialmente, aos 12 meses, podendo ser administrada até os 4 anos de idade;

adolescentes entre 11 e 14 anos; pessoas em condições especiais de saúde atendidas nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais.