Wagner da Silva
Braço do Norte

As vendas no crediário neste Natal em Braço do Norte ficaram bem abaixo do esperado. A expectativa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) era um aumento de 10%, porém, o incremento não chegou a 3,5%.
Mesmo com a crise do último ano, o mercado local registrou crescimento em vendas de mais de 8%, comparado a 2007. Com a melhora no mercado e motivados pela redução de impostos em alguns segmentos, os dirigentes apostavam no aumento ainda superior neste ano, o que não ocorreu.

O presidente da CDL, Gemerson Della Giustina, acredita que os consumidores optaram por fazer as compras em outras cidades da região. Entretanto, lembra que a entidade não tem controle sobre as compras à vista, principalmente porque muitas pessoas preferiram os presentes de menor valor. “Acredito que o aumento foi superior a 3,5%, mas os dados sobre compras à vista são desconhecidos”, explica Gemerson.

Setores apontam crescimento

Apesar dos dados gerais apresentados pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) mostrarem uma retração, alguns segmentos tiveram acréscimo. No caso do setor calçadista, cerca de 80% das vendas foram efetuadas no crediário, mas o aumento já faz parte dos dados da CDL.

O lojista André Michels Junior justifica que, além da crise mundial, Braço do Norte passa por dificuldades. “As indústrias não absorveram a mão-de-obra, a suinocultura trabalha com prejuízo e o município arrecadou menos. São fatores que atrapalham o comércio e isso refletiu nas vendas de Natal”, avalia o comerciante.

Por outro lado, o setor de móveis e eletroeletrônicos registrou boas vendas. “Os clientes apareceram mais próximos do Natal e isso compensou o movimento”, destaca a comerciante Maria Goreth Schotten. O setor de celulares também registrou boas vendas. Com a loja recém inaugurada, o comerciante Everaldo Mayer da Silva comemora as vendas. “Foi além da expectativa. Praticamente metade das vendas foi efetuada à vista, o que demonstra bons números no fim”, salienta.