Tubarão

Dez índios Kaingáng estão em Tubarão. O grupo chegou esta semana e fica até a próxima sexta-feira. O motivo: vender as ervas medicinais produzidas por eles na aldeia Bananeiras, localizada no pequeno município gaúcho de Miraguai.

O líder do grupo, Ido Galvão, 50 anos, viaja pelo país para levar esta cultura peculiar de sua tribo desde os 16 anos. Simpático e muito educado, ele já passou por nove estados, do norte ao sul do país, além de Argentina e Uruguai. “Viajamos com autorização da Funai e sempre nos instalamos nas cidades com autorização da prefeitura. O índio também tem que dar exemplo de cidadania”, enaltece Ido.

Modesto, ele conta que a aldeia produz 90 tipos diferentes de ervas medicinais. E Ido conhece todas elas. “As mais procuradas são as para diabetes e o que ficou conhecido como viagra natural, um tubérculo chamado de batata-de-negro”, especifica o índio.

O grupo montará uma barraca, na praça Walter Zumblick, ao lado do Museu Willy Zumblick. Tudo que vendem é atestado pela Funai. O setor de fiscalização da prefeitura já autorizou a comercialização.
Além do trabalho de venda e divulgação das ervas medicinais, eles também realizam palestras em escolas para difundir um pouco mais a cultura da tribo Kaingáng.