Lily Farias

Pescaria Brava

A história da jovem Cíntia Eliseu Ouriques (17 anos), de Pescaria Brava, ganhou um novo capítulo. Mas parece  ainda estar longe de um final feliz. Desde o ano passado ela aguarda pela cirurgia de uma escoliose em grau avançado, mas a mãe da menina descobriu que ela não está na fila do SUS.

Na sexta-feira o Notisul conversou com o Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis. O hospital não soube informar o porquê a menina ainda não tinha sido inclusa na fila.

No mesmo dia o secretário de Saúde de Pescaria Brava Henrique Souza tomou conhecimento da situação e tomou todas as providências para atender ao caso de Cíntia.

“Entramos em contato com a Secretaria de Saúde do Estado e resolvemos a situação. Agora estamos a disposição da Cíntia para dar todo o suporte que é de responsabilidade do município”, disse o secretário.

A direção do hospital ainda não soube explicar qual o motivo de a menina não ter sido colocada na lista. 

E deu certo. Na segunda-feira de manhã ligaram do hospital para Liliane Eliseu, mãe de Cíntia solicitando um agendamento para esta terça-feira. Liliane não sabia exatamente o porquê foi chamada, até levou a filha para uma possível consulta.

Mas quem a atendeu foi um outro médico, não o que está acompanhando o caso de Cíntia porque está de férias. 

Ele conversou com Liliane para saber como está Cíntia e solicitou  que a menina faça uma radiografia da coluna para apresentar em uma nova consulta no dia 26 de março, com o médico que a acompanha desde o início do tratamento.

“Espero que a partir desta consulta a gente saia com uma data marcada para a realização da cirurgia. Minha filha merece”, disse Liliane.