#ParaTodosVerem Na foto, a Baía de Guanabara no século 19
A Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, foi a primeira imagem captura por uma câmera de filmagem no Brasil - Foto: Divulgação

Quando as luzes se apagam, um feixe de luz chega à telona. Da poltrona, o espectador viaja para um mundo novo, real ou até mesmo para dentro de si. No Brasil, o fazer cinematográfico começou no dia 19 de junho de 1898. Foi naquela data que o ítalo-brasileiro Afonso Segreto (1875 – 1919), considerado o primeiro cineasta nacional, filmou a Baía da Guanabara, quando estava a bordo do navio Brèsil. Ele voltava da França, onde aprendeu técnicas de filmagem. Neste domingo (19), o feito histórico completa 124 anos e foi escolhida como data para celebrar o Dia do Cinema Nacional. As históricas filmagens de junho de 1898 inspiraram o pioneiro para o documentário A Praia de Santa Luzia, realizado em parceira com o irmão dele, o empresário Paschoal Segreto.

#ParaTodosVerem Na foto, Afonso Segreto, considerado o primeiro cineasta brasileiro
Considerado o primeiro cineasta nacional, Afonso Segreto filmou a Baía da Guanabara, enquanto estava a bordo do navio Brèsil, em 19 de junho de 1898 – Foto: Divulgação

De lá para cá, é claro, muito foi feito e visto. A tecnologia avançou, o cinema se transformou, ainda que nunca tenha perdido a magia e a força que tem em criar emoções, contar histórias e criar arte. A partir do século 20, o cinema começou a se popularizar e diversas salas de cinema fixo começaram a ser construídas no Rio de Janeiro e em São Paulo. Apesar das produções serem de orçamento baixo, as primeiras histórias começaram a ser produzidas, tanto de filmes mudos, depois as chanchadas e então a produção entra no chamado cinema novo, onde películas mais trabalhadas começaram a aparecer.

Fonte: Agência Brasil
Edição: Zahyra Mattar | Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul