Tatiana Dornelles
Tubarão

A partir de hoje, o ciclone extratropical que está em formação desde ontem no estado deve estar em seu ápice. A região que mais sofrerá com as fortes chuvas e ventos intensos será o litoral sul. Por isso, é essencial ficar atento quanto às conseqüências, principalmente quem mora em áreas de alagamento ou deslizamento.

“Há razão para se preocupar, sim, principalmente entre o fim da manhã e a tarde de amanhã (hoje), quando estará mais intenso. O ciclone estará com mais intensidade no litoral sul. Deve-se evitar áreas de risco, com possibilidade de deslizamento, alagamento ou quedas de árvores, por exemplo”, alerta a meteorologista Marilene de Lima, do Ciram/Epagri.

Por chegar a abranger quilômetros de distância, os ciclones extratropicais têm maior durabilidade. “O ciclone chega a 500 quilômetros de abrangência, não é como o tornado, que atinge apenas uma área, que é menor. Além disso, a duração, ou tempo de vida, pode chegar a 48 horas. Um tornado dura apenas alguns segundos. O ciclone tem um processo mais prolongado”, compara Marilene.

Defesa Civil
O Departamento Estadual de Defesa Civil está em alerta nos próximos dias, devido à passagem do ciclone extratropical, que deve ser mais rápido que o registrado no início de maio, provocando menos danos e prejuízos. A instabilidade abrange o estado, com previsão de chuvas fortes, ventos intensos entre 50 e 70 km/h e rajadas entre 90 e 110 km/h. O mar também deve ficar agitado, com ondas de quatro a cinco metros e condições de ressaca.