A área rural foi a mais afetada com os problemas causadas pelas chuvas
A área rural foi a mais afetada com os problemas causadas pelas chuvas

 

Karen Novochadlo
Grão-Pará
 
O município de Grão Pará foi bastante afetado com as chuvas da última semana. Estradas, redes de drenagem e cabeceiras de pontes sofreram danos. Uma família no distrito de Aiurê, na comunidade de Barrinha, está isolada desde a última quinta-feira e não há prazo para ser liberado o acesso. 
 
Como as chuvas que assolam a região desde terça-feira da semana passada não deram trégua, as obras de recuperação não podem ser realizadas por completo. No Aiurê, por exemplo, houve muitas quedas de barreiras, por contas dos morros que rodeiam a estrada.
 
“Não temos como mandar uma máquina para fazer a retirada do material, porque o solo está encharcado e corremos risco de desmoronamento”, lamenta o prefeito Valdir Dacorégio (PMDB).
 
A zona rural foi a mais atingida. A área urbana teve alguns problemas de alagamentos e drenagem. Na maioria das localidades, já foram retirados entulhos de cabeceiras de pontes e arrumadas as ruas. 
 
O prejuízo estimado é de R$ 1,7 milhão. A cidade decretou situação de emergência na última semana. O prefeito e os secretários já se reuniram com secretário regional em Braço do Norte, Gelson Luiz Padilha (PSDB), em busca de recursos para o município. Também é planejado um encontro com o vice-governador Eduardo Pinho Moreira (PMDB).
 
Gestores seguem em busca de recursos
Com cifras gigantes e crescentes em relação aos prejuízos deixados pelas chuvas, os gestores municipais da região partem em busca de ajuda. De Tubarão, o assessor de assuntos interinstitucionais da prefeitura, Felipe Felisbino, partiu para Brasília.
 
Ele esteve no Ministério da Integração Nacional, onde entregou os documentos que faltavam para acessar a verba que o município pleiteou para tampar os buracos deixados pelas chuvas do ano passado.
 
O repasse previsto é de R$ 1.104 milhão. A prefeitura ainda entrará com mais R$ 200 mil de contrapartida. Com isso, o total de R$ 1,304 milhão será utilizado para reconstrução de pontes, pontilhões e obras de prevenção às cheias na zona rural. O assessor também esteve na secretaria nacional de Defesa Civil para buscar mais verba.
 
Neste caso, para formalizar o pedido, o município precisa enviar, até este domingo, a Avaliação de Danos (Avadan) e pedir o reconhecimento do decreto de situação de emergência, assinado na última quinta-feira pelo prefeito Manoel Bertoncini (PSDB).
 
Além do governo federal, a prefeitura também pedirá ajuda ao governo do estado. E foi em direção ao governador Raimundo Colombo que o prefeito de Gravatal, Rudinei Carlos do Amaral Fernandes (PMDB), o Nei, ‘caminhou’ ontem.
 
Com fotos e documentos que atestam a situação calamitosa na cidade, Nei pediu ajuda para reconstruir o interior do município. “As prioridades são os locais onde há obstrução de estrada”, relata.
 
Trabalhos seguem em Tubarão 
Em Tubarão, as obras de recuperação seguem. As prioridades são as pontes e as estradas. Como o Notisul adiantou ontem, são construídas pontes de madeira no loteamento Taitú e na divisa com Gravatal, ambos no bairro São Martinho. Ontem, a prefeitura deu prosseguimento à recuperação das pontes na zona rural. Uma árvore sobre uma travessia da comunidade Caruru, em São Martinho, foi cortada. Algumas ruas dos bairros Recife e Pantanal foram patroladas.