Wagner da Silva
Braço do Norte

O prefeito de Grão-Pará, Valdir Dacorégio (PMDB), decretou estado de emergência em três comunidades do município ontem: Aiurê, Barrinha do Aiurê e Serra Furada. Plantações – especialmente de fumo e milho – foram perdidas, estradas e pontes destruídas. Quarenta famílias ficaram isoladas.

Máquinas da prefeitura trabalharam durante todo o dia de ontem na comunidade Serra Furada, a mais afetada. Segundo os moradores, o problema foi a força da água. Em alguns pontos, o rio chegou a mudar o seu curso e corria onde era a estrada de acesso à comunidade. Pranchões de madeira foram colocados nas cabeceiras das pontes a fim de garantir passagem aos veículos de moradores e também às maquinas da prefeitura. “Vamos fazer um trabalho na região para, ao menos, dar acesso às propriedades rurais. Em seguida, será elaborado um projeto e vamos buscar recursos para resolver definitivamente os problemas relacionados às cheias por conta das chuvas”, adianta Dacorégio.

A chuva iniciou ontem por volta de 14h30min e durou cerca de quatro horas. Durante este período, o nível do rio subiu mais de dois metros. A moradora Ivã Kulkamp, 44 anos, ainda não contabilizou os prejuízos. Mas afirma que mais de quatro hectares de plantações foram destruídos. Preocupada, Ivã lembra da situação semelhante que enfrentou em 2007. “Ficamos isolados 30 dias por ocasião das chuvas e da falta de manutenção na estrada. Foi desesperador. Agora, parte do que produzimos foi levado rio abaixo”, lamenta.