Maria Aline quer convencer a mãe a comprar uma boneca  -  Foto:Kalil de Oliveira/Notisul
Maria Aline quer convencer a mãe a comprar uma boneca - Foto:Kalil de Oliveira/Notisul

Tubarão

Os olhinhos da pequena Maria Aline Ribeiro Tibincosk, 6 anos, brilhavam em frente à vitrine de uma loja, ontem, em uma rua do Centro de Tubarão. Ela faz companhia à mãe Silvia Ribeiro, 35, que não garante nada. "A mamãe está procurando emprego", explica a menina. Mesmo assim, espera ganhar uma boneca, afinal quarta-feira é Dia das Crianças.

Para a coordenadora do Procon de Laguna, Lúcia Maciel, os pais devem fazer uma reflexão sobre que presente comprar. "Jamais se deve comprar alguma coisa que não seja adequada para a idade da criança devido aos riscos de acidentes. Também é importante cuidar das contas. As pessoas quando pensam nos filhos, na hora, se entusiasmam e fazem novas dívidas quando o orçamento já está bem prejudicado", argumenta a especialista.

Segundo Lúcia, por regulamentação, os produtos destinados a crianças já possuem uma certificação, que pode ser observada na embalagem. É também uma forma de diferenciar brinquedos contrabandeados. Na Cidade Juliana, os fiscais da prefeitura já atuam à procura de comércios clandestinos que costumam surgir nesta época até o Natal, mas não chega a causar problemas.

Olho nos preços
A pesquisa é o mais recomendado pelo coordenador do Procon em Tubarão, o advogado João Bosco Sandrini, que atua há seis meses no escritório localizado na Central do Cidadão. "Existem muitas diferenças de preço no mercado pelo mesmo produto", avisa.

Além das lojas abrirem até as 17 horas  no sábado, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) em Tubarão avisou que fará um horário estendido também na terça-feira, dia 11, véspera do Dia das Crianças. "O Dia das Crianças representa para o comércio a quarta melhor data comemorativa em vendas. Isto deve se confirmar em Tubarão e o Dia D é a contribuição inicial para fortalecer as vendas", explica Harrison Marcon, vice-presidente da CDL em Tubarão.