#Pracegover foto: na imagem há muro, calçada, árvore, meio fio e jazigos
#Pracegover foto: na imagem há muro, calçada, árvore, meio fio e jazigos

Além de local de oração e culto aos entes queridos, os cemitérios abrigam informações históricas e culturais. O hábito de zelar pelos mortos é antigo e preservado por grande parte da população. Porém, atualmente, na região os campos santos, como são chamados na linguagem cristã, têm sido alvo de vandalismo.

O cemitério Municipal de Capivari de Baixo, foi invadido por vândalos recentemente. O caso foi divulgado nas redes sociais por uma moradora da cidade termelétrica. Os criminosos estão furtando do local parte de alumínio nas portas instaladas nas capelas.

De acordo com o secretário de Obras, Viação, Trânsito e Meio Ambiente de Capivari de Baixo, Adam Dutra Machado, a pasta estuda alternativas para evitar novas ocorrências de furto ou vandalismo. Há a possibilidade de instalação de câmeras de segurança no cemitério ou a contratação de uma empresa de vigilância para permanecer no local durante a madrugada.

O cemitério fica aberto todos os dias, a partir das 7h. O horário de visita encerra às 19h, quando o local é fechado. Durante o período, um coveiro é responsável por realizar a manutenção básica do local, como a limpeza do espaço.

Em Laguna, o cemitério da comunidade da Passagem da Barra, na região da ilha, os puxadores de gavetas mortuárias foram furtados em junho. Desde então, os funcionários do local precisam vistoriar a área diariamente para saber se mais algum item foi levado. Um mês antes, o Notisul trouxe a informação que lápides dos cemitérios da Cidade Juliana eram furtadas. Os casos foram confirmados nos cemitérios da Glória e da Cruz.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul