A maioria dos 400 funcionários da estatal no sul do estado optou por aceitar a proposta da empresa. Com isso, a greve foi cancelada.
A maioria dos 400 funcionários da estatal no sul do estado optou por aceitar a proposta da empresa. Com isso, a greve foi cancelada.

Zahyra Mattar
Tubarão

Após o anúncio do estado de greve dos servidores da Celesc, a empresa volta atrás da decisão de cortar as negociações com o sindicato da categoria e apresentou uma nova proposta às reivindicações.

Com isso, os funcionários da estatal votaram ontem pela aprovação da proposta e desistiram de efetuar a paralisação dos trabalhos. Caso não aceitassem, cruzariam os braços a partir das 6 horas desta sexta-feira, conforme o Notisul adiantou na semana passada.

“A proposta da empresa avançou em vários pontos. O índice de reajuste salarial passou de 4,2% para 4,68%, o que repõe totalmente a inflação. Quanto aos benefícios que seriam cortados dos novos empregados, a estatal decidiu que os manterá pelo menos até o próximo acordo coletivo, em agosto do próximo ano”, detalha a diretora administrativa do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia Elétrica do Sul de Santa Catarina (Sintresc), Regina Schlickmann Luciano.

Bancários decidem se param a partir de amanhã

Sem acordo coletivo, os mais de 500 trabalhadores das 45 agências que compõem a base do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Tubarão e Região (SEEBTR) decidem hoje se irão, ou não, paralisar as atividades. A assembleia é às 18h30min, na sede do sindicato.

A base de Laguna, composta por aproximadamente 120 trabalhadores, também fará assembleias hoje, às 20 horas, na sua sede. As negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) iniciaram no mês passado, mas as conversações não avançaram. Caso cruzem os braços, será por tempo indeterminado e a partir de amanhã.

Os trabalhadores pedem, entre outras cláusulas sindicais, reajuste de 11% nos salários e participação nos lucros e resultados. “As instituições financeiras ofereceram 4,29% de aumento, cujo índice fica abaixo da inflação do mês passado (4,49%)”, explica o presidente do SEEBTR, Armando Machado Filho.