São Paulo (SP)

Para a Polícia Civil de São Paulo e para o Ministério Público Estadual, não há mais dúvidas: a menina Isabella Nardoni, 5 anos, foi atirada do sexto andar do Edifício London, na noite de 29 de março, por seu pai, o estagiário de direito Alexandre Alves Nardoni, 29.

Com base em dados preliminares elaborados por peritos do Instituto de Criminalística (IC) e de legistas do Instituto Médico Legal (IML), os delegados e investigadores do 9º DP responsáveis pelo esclarecimento do assassinato de Isabella também têm outra convicção: Nardoni jogou a filha do seu apartamento após a madrasta da menina, Anna Carolina Trotta Jatobá, 24, ter tentado asfixiá-la.

Para peritos, legistas, investigadores e delegados, as agressões de Anna contra Isabella fizeram com que ela desfalecesse, passando a impressão de que havia morrido. Na seqüência, ainda na interpretação dos responsáveis pelo caso, Nardoni a jogou pela janela e começou a tentar simular a invasão de seu apartamento.
Um dos laudos mais aguardados é o que apontará o momento em que Isabella foi jogada pela janela, tanto Nardoni quanto Anna estavam no local.

Outro documento dos peritos do IC será usado pelos policiais para afirmar à justiça que Nardoni carregou Isabella no colo dentro do seu apartamento, após ela ter sofrido as agressões por parte da madrasta e ficar com um corte de aproximadamente dois centímetros na testa. A posição das gotas de sangue nos diversos cômodos do lugar dirão aos policiais qual o trajeto do pai com a menina no colo.