Com um visual despojado, Luigi nem parece que foi seminarista. “Espero um dia vir me apresentar em Tubarão”, antecipa o músico.
Com um visual despojado, Luigi nem parece que foi seminarista. “Espero um dia vir me apresentar em Tubarão”, antecipa o músico.


Karen Novochadlo
Tubarão

Com shows marcados em Santa Catarina, o cantor Luigi Magini, 34 anos, aproveitou uma brecha na agenda para conhecer Tubarão e divulgar o seu trabalho. Ele se lançou em uma carreira solo em 2005.

Luigi vem de uma família de músicos, mas os seus pais não queriam que ele seguisse essa carreira. Chegou a cursar o seminário, para se tornar padre. Na metade, descobriu que não tinha vocação e saiu. Nasceu em Xanxerê, mas foi morar em Caxias do Sul (RS) ainda bebê. Desde, 2007, reside em São Paulo.

“Eu faço música popular/romântica, mas com uma influência da música eletrônica”, revela Luigi. A carreira como artista solo iniciou por acaso. Ele já fazia apresentações com uma banda de italiano e resolveu gravar umas canções. O cantor disponibilizou algumas músicas na internet, e foi ganhando fãs. “No começo, eu percebi que eram DJs que baixavam as minhas músicas. Hoje, são adolescentes”, conta.

O músico também é responsável por grande parte das letras de seus sete CDs – o sétimo  deverá ser lançado em março. “Cerca de 90% das composições são de minha autoria e 10% são versões de outras músicas”, explica.

Conquistou dois discos de ouro e um de platina. Nos seus shows, é acompanhado por uma banda de apoio e duas bailarinas. “Antes, os homens da plateia, com ciúmes das namoradas, jogavam latinhas e garrafas em mim. Depois que contratei duas dançarinas, as agressões pararam”, brinca.

Saiba mais
Alguns álbuns do cantor estão disponíveis no site oficial do músico: www.luigimangini.com.