#Pracegover foto: na imagem há uma mão e um laço amarelo
#Pracegover foto: na imagem há uma mão e um laço amarelo
Cansaço, pressão excessiva, autocobrança, esgotamento mental e adoecimento psíquico serão alguns dos temas abordados pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) ao longo do próximo mês. Conhecido como Setembro Amarelo, o mês de conscientização sobre a saúde mental será marcado por atividades on-line e postagens nas redes sociais do MPSC.
Com o slogan “Tudo bem não estar bem. E tudo bem procurar ajuda também”, a campanha vai mostrar que, após um ano e meio de pandemia, muitas pessoas estão vivendo um grande esgotamento mental. A ideia é normalizar o debate sobre saúde mental e incentivar que os integrantes do MPSC e o público em geral busquem ajuda para lidar com essas questões.
Essa abordagem sobre a saúde psicológica busca prevenir problemas mais graves, como o desenvolvimento de depressão, transtornos de ansiedade e o suicídio. No mesmo caminho, o MPSC quer empoderar a rede de apoio, levando informação sobre acolhimento e socorro às vítimas de transtornos mentais.
As atividades do Setembro Amarelo incluem uma live, no dia 2/9, às 19h30, com o título “Saúde mental, sofrimento psíquico e suicídio: vamos conversar?” e materiais nas redes sociais. O evento contará com a presença de profissionais que atuam em diferentes áreas da saúde mental. A transmissão será aberta ao público no canal do MPSC no YouTube.
De acordo com o Promotor de Justiça Douglas Roberto Martins, coordenador do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos e Terceiro Setor (CDH), “a participação do Ministério Público de Santa Catarina na campanha do Setembro Amarelo é uma oportunidade de, dentro do calendário de eventos e responsabilidade do MPSC, falar sobre o sofrimento mental, com o objetivo de derrubar mitos e tabus a ele relacionados”.
“Neste ano, mais uma vez, estamos adequando o evento à realidade que vivenciamos, seja na forma de realização, 100% virtual para atender à necessidade de distanciamento social e prevenção da transmissão, seja na temática abordada. Afinal, após mais de um ano e meio de transformações e desafios sociais, econômicos e sanitários, tudo bem não estar bem. E tudo bem procurar ajuda também”, reforça o Promotor de Justiça.
Mês de conscientização e prevenção
Desde 2014, setembro é considerado o mês de referência para campanhas de conscientização e prevenção ao suicídio, por iniciativa da Associação Brasileira de Psiquiatria e do Conselho Federal de Medicina.
No MPSC, o Setembro Amarelo é pauta de eventos anuais desde 2015. Entre os temas já abordados estiveram “Doenças mentais: falar para prevenir, conhecer para tratar”, “Não se esconda atrás dos emojis” e “Distantes, mas juntos”. Esse último, de 2020, abordou o problema do adoecimento mental durante a pandemia de covid-19, que ainda afeta a saúde de muitos brasileiros.

A cobrança por uma grande produtividade nesse período, mesmo em condições adversas, levou muita gente a desenvolver problemas de saúde mental. Uma pesquisa da Universidade Federal de Santa Maria, por exemplo, demonstrou que 65% dos participantes tiveram piora na saúde mental durante a quarentena. Por isso, o MPSC pretende abordar este ano o esgotamento mental como uma das pautas principais da campanha, tanto para o público interno quanto para o externo.

Palestras

2/9/2021 (quinta-feira):
Rodrigo Rosa Silveira: Médico com especialização em Psiquiatria. Mestre em Saúde Coletiva, especialista em Saúde Mental da Infância e Adolescência.
Amanda Mont’Alvão Veloso: Psicanalista e jornalista, doutoranda em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC/SP, com pesquisa sobre linchamento, linguagem e inconsciente.

Soraya Carneiro Carvalho-Rigo: Psicóloga, psicanalista e coordenadora do Núcleo de Estudo e Prevenção do Suicídio (NEPS/CIAVE) da Bahia.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: MPSC