Amanda Menger
Tubarão

Algumas declarações e opiniões de políticos acabam gerando polêmica. E foi o que ocorreu novamente esta semana com o presidente da câmara de Tubarão, João Fernandes (PSDB). Apesar de ser do partido do prefeito Dr. Manoel Bertoncini (PSDB), ele não poupa críticas aos secretários da prefeitura.
Em uma das entrevistas, João chegou a dizer que acredita muito no trabalho do prefeito, mas o problema eram os secretários. “É uma lenga-lenga. Eu falo a verdade, doa a quem doer”, alfineta. Segundo o presidente, alguns secretários demoram a responder os requerimentos dos vereadores e, quando respondem, os argumentos são evasivos.

Entre os ‘alvos’ das críticas de João, estão os secretários de desenvolvimento urbano, Nilton de Campos, segurança e trânsito, João Batista de Andrade, de planejamento, Edvan Nunes, serviços públicos, Fabiano Bittencourt, e a responsável pela Cosip, Reneuza Borba.
O estopim para que a ‘metralhadora’ começasse a girar foi os alagamentos em diversas ruas, incluindo a dos Ferroviários, onde mora o presidente, e ainda a colocação de duas lombadas na rua onde reside o secretário de desenvolvimento urbano.

A fama de ‘atirar’ para todos os lados começou junto com o mandato de João. De início, ele não aceitou o acordo da base aliada para eleger como presidente da câmara para o biênio 2009/2010 o vereador Edson Firmino (PDT) e fez aliança com os vereadores do PMDB, partido de oposição ao prefeito.
Outra polêmica que João se envolveu foi do número de assessores parlamentares. Ele defende que os vereadores tenham um assessor, entre os funcionários contratados por indicação da presidência da casa.

Vereador pode renunciar, diz Dionísio

A polêmica na câmara de vereadores não fica concentrada no presidente da casa, João Fernandes (PSDB). Aliás, esta é uma característica da nova legislatura municipal. E as novas especulações giram em torno de uma declaração do vereador Dionísio Bressan Lemos (PP).
Em entrevista, Dionísio teria revelado que há um vereador que pensa em renunciar ao cargo. “Eu ouvi a conversa de um vereador, que disse pensar em renunciar porque estaria se sentindo mal com a situação da câmara. Mas não revelo nem morto o nome do colega que disse isso”, afirma Dionísio.

Para ele, a situação da câmara não melhorou. “Aliás, piorou. E isso por causa da pessoa do presidente. João é autoritário, ele é ditador. Não é nem um pouco flexível. As coisas têm que ser do jeito dele”, dispara Dionísio.
Para João, Dionísio não diz o nome porque não há quem queira desistir do cargo. “Porque ele não diz qual o nome? Se soubesse quem, eu diria. Não sou ditador, apenas sigo o regimento. Tentei conversar com eles, vou continuar seguindo o regimento da casa”, rebate João.

Maurício da Silva (PMDB), diz desconhecer algum vereador interessado em renunciar. “Nunca ouvi isso. Não faço ideia de onde isso teria surgido. Quanto às reclamações sobre a demora das respostas dos secretários, isso não é uma crítica apenas de João. Todos os vereadores falam isso. Entendo a intenção de João como uma forma de melhorar os serviços à população”, pondera Maurício.

Secretários rebatem críticas

Entre os vereadores que foram alvos de críticas do presidente da câmara, João Fernandes, está o de desenvolvimento urbano da prefeitura, Nilton de Campos. Segundo João, há dez dias, no programa Pergunte ao Prefeito, da rádio Bandeirantes, Nilton teria dado garantias de que os problemas de alagamentos estariam resolvidos. Contudo, com as chuvas do fim de semana, novamente algumas áreas ficaram debaixo d´água.

De acordo com Nilton, os trabalhos de limpeza (confira as notas ao lado) não foram concluídas. “Várias situações foram resolvidas. Em outras regiões da cidade, a água escoou mais rápido e teve outras que não alagaram. Isso é resultado dos trabalhos emergenciais. Porém, isso não é suficiente, tem que fazer investimentos em macrodrenagem e que envolvem milhões de reais“, diz o secretário.

Para Nilton, as opiniões de João devem ser respeitadas. “Ele é um representante do povo e tem o direito de fazer as suas reivindicações. Não tenho absolutamente nada contra João. Não ficou nenhuma mágoa da eleição da mesa diretora da câmara”, afirma o diplomático Nilton, que é vereador licenciado. O secretário também rebateu alguns rumores sobre a sua saída da secretaria. “Continuo até quando o prefeito determinar”, diz.

O secretário de segurança e trânsito, João Batista de Andrade, responde as críticas sobre a colocação de duas lombadas na rua do secretário de desenvolvimento urbano de forma conciliatória. “Tentamos outras medidas. Como prevê a legislação, utilizamos as lombadas em último caso. Respondi o requerimento sobre isso de forma técnica”, afirma Batista.