Brasília (DF)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva viaja hoje para a Argentina com a disposição de dialogar com o país vizinho sobre energia. Porém, não pretende abrir mão do gás que importa da Bolívia em favor da Argentina. A informação é do porta-voz da presidência da república, Marcelo Baumbach.

“O Brasil está convencido de que é necessário que seja cumprida a meta contratada em termos de fornecimento de gás, disso não podemos abrir mão. É uma necessidade brasileira e o nosso mercado interno, nossas necessidade internas, vem em primeiro lugar”, afirmou.

Segundo o porta-voz, embora ainda não haja nenhuma proposta concreta, o governo brasileiro deve discutir formas de cooperar com a Argentina, a exemplo do que ocorreu no ano passado com fornecimento de energia elétrica.

“O Brasil está disposto a dialogar de maneira construtiva, como tem dialogado, isso não quer dizer que possamos renunciar aos volumes que foram acordados, mas significa que possam ser estudadas maneiras de ajudar a Argentina como no ano passado, com fornecimento de energia elétrica”.
Lula chega a Buenos Aires na noite de hoje. Amanhã, visitará a Corte Suprema e o Congresso e reúne-se com a presidenta da Argentina, Cristiana Kirchner. Sábado, o presidente da Bolívia, Evo Morales, se juntará ao grupo.

O compromisso de exportação da Bolívia com o Brasil é de mais de 30 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, com destino a São Paulo, e outros 2,2 milhões para geração de energia em Cuiabá.
A intenção, segundo Marcelo Baumbach, é que sejam aprovados cronogramas de trabalho com objetivos imediatos e metas concretas entre Brasil e Argentina.

Será assinada declaração conjunta, seguida de declarações presidenciais em áreas como economia e investimentos, cooperação nuclear e espacial, ciência e tecnologia, energia, transportes, defesa e justiça. Ainda no sábado, o presidente Lula retornará a Brasília.