Wagner da Silva
Braço do Norte

A falta de estrutura para os pequenos agricultores fazerem frente às grandes industriais do agronegócio está próxima de ser instalada também no Vale do Braço do Norte. Esta semana, produtores, membros de sindicatos, frigoríficos e agricultores conheceram o Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa), onde é prevista a criação de uma espécie de cooperativa onde estarão inclusos sindicatos, organizações e associações que visam atender o agricultor e famílias rurais.

O Suasa foi explanado pelo analista do Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA), Eduardo Forville, responsável por viabilizar futuras reuniões para implantar o sistema na região. Além de critérios técnicos, ele destacou a importância da união dos agricultores. “Hoje, é muito difícil concorrer com as grandes indústrias, mas é possível conseguir bons resultados, como a diminuição de custo de produção e segurança na comercialização, através de uma cooperativa”, explicou.

O deputado estadual Dirceu Dresch (PT) detalhou como o sistema funciona no oeste do estado. “É uma luta de muitos anos. Estou convencido e defendo a forma de oferecer acesso dos pequenos produtores aos grandes mercados. Esse mecanismo facilitará e encurtará caminhos”, salientou o parlamentar, ao acrescentar que, apesar da luta da categoria, o estado ainda não aderiu a este sistema. “Santa Catarina tem grande potencial em suas pequenas propriedades. Precisamos que sindicatos, associações e prefeituras unam-se para alavancar o desenvolvimento rural”, acrescentou.

O secretário de desenvolvimento econômico da prefeitura de Braço do Norte, Murilo Bitencourt, defendeu a formação de uma comissão provisória para debater os interesses dos agricultores e pequenas indústrias. “É um momento importante, uma oportunidade única de traçarmos mudanças a fim de beneficiar os produtores e também os municípios”, acrescentou.

Fetraf apoia formação de cooperativa

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Sintraf) é favorável à construção de uma cooperativa na região para defender os interesses dos agricultores familiares. Segundo o coordenador do sindicato, Lino de Souza, há um interesse muito grande no Vale. “Com a implementação do Suasa, o desenvolvimento rural será mais rápido”, confere Lino.

Para ele, o Suasa facilitará o acesso dos pequenos produtores à informação e comercialização de seus produtos. “Com a cooperativa, os pequenos agricultores terão melhor qualidade, maior acesso ao mercado nacional e ao enquadramento em linhas de crédito, hoje não disponíveis para esta classe”, expõe.