Braço do Norte

Das 42 cidades da região sul catarinense, Braço do Norte está na liderança em qualidade de vida. A informação é da assembléia legislativa. Nos últimos anos, a cidade subiu 39 posições no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Ocupa hoje a 15ª posição (estava na 54ª) conforme os quesitos avaliados: renda, longevidade e educação. Colonizada por italianos e alemães, Braço do Norte tem 27,7 mil habitantes com renda per capita de R$ 433,10, expectativa de vida de 75,23 anos e educação com bons números.

Conhecida como a capital sul-americana da moldura, a cidade destaca-se na produção e exportação do produto e também em máquinas. Na agropecuária, a criação de suínos, gado de corte e de leite fazem a economia local refletir os bons resultados em todo o Vale. Os eventos religiosos e as pescarias são os atrativos turísticos do município.

Ainda na linha industrial, a produção de máquinas e equipamentos, confecções, plásticos e produtos de uso doméstico como esmaltados, higiene e limpeza, também merecem destaque. “Devemos isso à população, pela seriedade, trabalho, empenho e por acreditar que aqui é um bom lugar para investir e viver”, elogia o prefeito de Braço do Norte, Luiz Kuerten (PP), o Tilico.

Já o secretário de desenvolvimento econômico e turismo da prefeitura, Lauro Schlickmann, diz que todo esse desenvolvimento deve-se também aos órgãos de assistência, aos empreendedores, tanto na produção agrícola, suinocultura e produção de leite, bem como os comerciantes e empresários responsáveis pela absorção de tanta mão de obra qualificada, fruto de muito investimento e treinamentos.

A secretária de educação, cultura e desporto da prefeitura, Maristela da Cunha Cardoso, acrescenta que os professores e responsáveis pela saúde e assistência social no município, também desempenham papel fundamental na boa colocação de Braço do Norte no IDH. “Não temos crianças em idade escolar fora da sala de aula ou das creches onde atendemos em média 1,6 mil crianças”, comemora.