Zahyra Mattar
Tubarão

O Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit) avalia junto as empresas responsáveis pela duplicação da BR-101 a necessidade, ou não, de alterar o cronograma das obra. O motivo: a chuva. Trecho como o do lote 24, em Imbituba, tinha prazo de entrega das pistas duplas no próximo mês.

Mas em virtude do mau tempo poderá ser necessário um período maior. O Dnit avalia o cronograma junto a cada empresa separadamente por conta da peculiaridade de cada lote. Em Tubarão, da Triunfo, os trabalhadores ficaram mais de uma semana parados. Somente ontem puderam retornar ao canteiro de obra.
A liberação de algumas obras-de-arte especiais também ficou prejudicada. Um exemplo é o viaduto duplo de acesso a Imbituba. O local já deveria ter sido disponibilizado para o tráfego, mas foi impossível terminar o asfaltamento da pista no sentido sul/norte.

Em Laguna, os trabalhos nas duas Passagens Inferiores – no acesso a comunidade do KM 37 e na de Santiago – os trabalhos reiniciaram apenas ontem. A execução do estaqueamento na ponte sobre o Rio Capivari também precisou ser paralisada devido ao alto nível do rio.

Recuperação
de pistas antigas

Para não danificar ainda mais a capa asfáltica do trecho sul da BR-101, os trabalhos de recuperação das pistas antigas foram realizados mesmo em dias de chuva intensa. Com a estabilidade do tempo, este trabalho começa a ser intensificado.
Também são realizados trabalhos de limpeza e desobstrução de bueiros e bocas-de-lobo, sistemas essenciais para o escoamento da água da chuva que se acumula sobre a pista e sarjetas, além da roçada das margens da rodovia, a fim de garantir melhor a visualização da sinalização.