Tubarão

Os trabalhos de britagem e remoção de rochas nas proximidades do km 337, na cabeceira sul da ponte sobre o Rio Tubarão, exige maior atenção de motoristas e pedestres. Homens da empresa Triunfo, responsável pela duplicação do lote 26 da BR-101, e máquinas estão sobre a pista.

A britagem das rochas é feita por um martelo-hidráulico acoplado a uma escavadeira. A retirada envolve o trabalho escavadeiras e caminhões, próximos a pistas de sentido norte-sul da rodovia. Os pedregulhos retirados servem para aterro em outros pontos da rodovia.

As atividades no trecho não afetam o fluxo de veículos da rodovia. Contudo, hoje haverá interrupção do tráfego para a detonação de rochas neste mesmo ponto, do meio-dia às 14 horas. Os motoristas também devem observar o redimensionamento da faixa para veículos pesados, que está interrompida do fim da ponte até o trevo de acesso à rodovia SC-440.

Velocidade
Em trechos com desvios de tráfego urbano ou nas proximidades de obras-de-arte especiais, o limite de velocidade máxima é 40 quilômetros por hora. Para os trechos já duplicados, o limite de velocidade continua a ser o de 80 quilômetros de hora.

Cuidado redobrado nos desvios
Entre os pontos de maior perigo aos usuários da BR-101 estão:
• Maracajá, no km 402;
• Tubarão, no km 336 (viaduto duplo de acesso à cidade);
• Capivari de Baixo a Laguna, entre o km 329 e o km 319 (da divisa com Tubarão até a ponte de Cabeçudas).