#Pracegover Foto: na imagem há um edifício, escadas e uma árvore
#Pracegover Foto: na imagem há um edifício, escadas e uma árvore

A Diocese de Tubarão comunicou nesta quarta-feira (15) que, por determinação do bispo diocesano Dom João Francisco Salm, que alguns padres serão transferidos de suas paróquias ou funções a partir de janeiro de 2022. As transferências abrangem comunidades paroquiais em cidades pertencentes da Diocese.

De acordo com Dom João, ao chegar o fim do ano, por razões diversas, faz-se necessário que se atribuam novas missões a alguns padres. Cada caso envolve conversa, reflexão e oração. Procura-se o melhor para o padre, para a comunidade e para a Diocese. “Esta exigente tarefa cabe ao Conselho Presbiteral sob a presidência do bispo. Deus seja louvado porque temos padres para atender o nosso povo. Considerando necessidades e possibilidades, dentro dos nossos limites, procurando discernir a vontade de Deus, com gratidão pelo trabalho realizado por quem parte e votos de êxito para quem assume novas tarefas nos dias que virão, resolveu-se que as novas missões para o próximo ano”, pontua.

As transferências podem ocorrer pelos mais variados motivos, uma vez que a dinâmica da vida da Igreja Católica e as necessidades pastorais exigem sempre novas decisões e, também, mudanças e transferências, estas decisões não são um ato arbitrário e autoritário que recai e pesa sobre a pessoa do bispo. É importante elencar que as transferências de padres fazem parte da autoridade episcopal, é o múnus (fundamentação legal) do qual ele é revestido por meio do sacramento da Ordem no grau do episcopado, pela autoridade do Papa e da Igreja, mas também por sua paternidade espiritual.

As leis da própria Igreja esclarecem sobre o porquê das transferências de padres numa diocese: o Código de Direito Canônico determina que “se o bem das almas ou a necessidade ou utilidade da Igreja já exigirem que o pároco seja transferido de sua paróquia, que dirige com eficiência, para outra paróquia ou outro ofício, o bispo proponha-lhe a transferência por escrito e o aconselhe a consentir, por amor a Deus e das almas”, como está especificado em cânon 1748 do Código de Direito Canônico. Segundo as leis da Igreja, as transferências podem ser voluntárias ou por obediência, isto é, com o consentimento do sacerdote ou pelo voto de obediência ao bispo da igreja e seus sucessores, juramento proferido durante o ato de sua ordenação.

As transferências sempre são oportunidade de renovação para os próprios sacerdotes, mas também para as comunidades paroquiais, exigindo por vezes um espírito de sacrifício e obediência. É o Senhor, que por intermédio do Espírito Santo indica este caminho, iluminando e abençoando os irmãos na nova missão que lhes é confiada.

O Direito Canônico fala de uma estabilidade ao pároco (seis anos e mais seis), mas isso não significa que não possa sair antes disso. Neste período, podem aparecer outras necessidades ou situações que leva o Conselho Presbiteral a repensar a presença dele ali.

Mudanças

Pe. Ademir Eing: – Vigário Paroquial na Paróquia S. Marcos – Rio Fortuna.
(presta auxílio em Orleans nos domingos à tarde e à noite;
continua professor na FACASC – Florianópolis).
Pe. Aluísio Heidmann Jockem: – Pároco na Paróquia S. Rosa de Lima – Rio Bonito, Br. do Norte.
Pe. André Corrêa Oenning: – Pároco na Paróquia Imaculada Conceição – Imbituba.
Pe. Vanderlei da Rosa: – Pároco na Paróquia Sagrado Coração de Jesus – Gravatal.
Pe. Nilo Schlickmann: – Vigário Paroquial na Paróquia Sagrado Coração de Jesus – Gravatal.
Pe. Rafael Uliano: – Pároco na Paróquia Nossa Sra. de Fátima – Humaitá;
Auxiliar na Administração da Mitra Diocesana;
Segue na Administrador da Rádio e TV Tubá, da Livraria Diocesana
e continuará seus estudos.
Pe. Vanderlei Tezza: – Vigário Paroquial na Paróquia Nossa Sra. de Fátima – Humaitá.
Pe. Lucas Bittencourt Neves: – Vigário Paroq. na Paróquia Nª Srª da Piedade (Catedral) – Tubarão.
Pe. Judá Gabriel da Silva Freitas: – Pároco na Paróq. S. Francisco de Assis – Monte Castelo, Tubarão.
Pe. Nilo Buss: – Pároco na Paróquia Cristo Rei – São Martinho;
continua na Chancelaria com expediente de dois dias semanais na Cúria.
Pe. José Livinos Jochen: – Pároco na Paróquia São João Batista – Morro Grande, Sangão.
Pe. Willian Fernandes de Jesus: – Pároco na Paróquia São José – Treze de Maio.
Pe. Rodrigo da Silva, Reitor e Formador no Seminário Nossa Senhora de Fátima,
também será Vigário Auxiliar na Paróquia S. João Batista – Imaruí, em dois fins de semana
mensais. Nesses finais de semana, o seminarista Lucas Rodrigues o substituirá no Seminário.
Pe. Domingos Dorigon: Irá morar em residência própria para um tempo sabático.
Pe. Paulo Henrique de Lira: Fará uma experiência na Diocese de Sobral, Ceará.
Pe. Sérgio Gomes: Solicitou afastamento das atividades paroquiais.
Adson da Silva Muniz: (terminou os estudos teológicos);
– Auxiliar Pastoral na Paróquia Santa Otília – Orleans.
(Ano de preparação e de Ordenação Diaconal e de Ordenação Presbiteral).
Diác. Simão dos S. Ferreira: Exercerá seu Ministério na Paróq. N. Sr. do Bom Fim, Braço do Norte.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul