Carolina Carradore
Tubarão

O brilho no olhar de Vanessa Citadin da Rosa, 27 anos, mudou. Com um sorriso contagiante, a recepcionista comemora ‘vida nova’, depois de ter perdido 35 quilos em cinco meses. Vanessa é apenas uma das pacientes que se submeteram a uma cirurgia bariátrica, em Tubarão.

Através da videolabaroscopia, método mais seguro que a cirurgia convencional, o número de interessados cresce cada vez mais. No Hospital Nossa Senhora da Conceição, 190 cirurgias de redução de estômago foram realizados em um período de quatro anos. Para 2010, a expectativa é que sejam realizadas, em média, de sete a oito cirurgias bariátricas por mês.

“Boa parte foi feita por meio da videolabaroscopia e em todas tivemos sucesso. O progresso nestas cirurgias é cada vez maior e, hoje, o método é bem mais seguro”, afirma o cirurgião Jaime César Gelosa Souza, que integra a equipe multiprofissional de cirurgia bariátrica do HNSC. Ao lado do profissional, estão os cirurgiões Ricardo Reis do Nascimento e Darlan Kestering, além da psicóloga Fernanda Schimitz, da fisioterapeuta Jamile Guzzatti Satorno e da nutricionista clínica Tatiane Coan.
E é esse o time que acompanha – antes, durante e depois da cirurgia – o paciente que de fato precisa reduzir drasticamente o peso.

Vale lembrar que o procedimento só deve ser realizado nos casos extremos e é indicado para pessoas com Índice de Massa Corpórea (ICM) de 40 ou superior e para pessoas com ICM de 35 ou superior com um ou mais problemas de saúde relacionados à obesidade. O procedimento cirúrgico consiste, com auxílio de vídeo, na redução do tamanho do estômago e o desvio do intestino delgado. Com isso, a comida é desviada do duodeno (parte inicial do intestino) e a perda de peso ocorre por dois mecanismos: primeiro, a saciedade precoce e, segundo, por diminuição de absorção de alimentos.

Gravidade
Os obesos têm 12 vezes mais chances de morrer devido a eventos cardiovasculares. A obesidade pode ser resultado de herança genética, fisiológica, sedentarismo, excesso de alimentos ou alimentação inadequada, devido a transtornos alimentares.

Cirurgias na Socimed

O Hospital e Maternidade Socimed também realiza cirurgias bariátricas. Todas são feita pela equipe médica dos cirurgiões Darlan Kestering, Jaime César Gelosa Souza e Ricardo Reis. O procedimento de redução do estômago mais utilizado nos Estados Unidos e no Brasil – método adotado também no hospital – é a cirurgia de Fobi-Capella. “Esse procedimento visa à restrição do reservatório alimentar associado à desabsorção através do desvio do intestino”, explica o cirurgião Darlan Kestering.

Indicações e pré-operatório

Com tantos argumentos a favor, como a rápida perda de peso, o controle de doenças e o ganho de qualidade de vida e autoestima, é importante salientar que a cirurgia bariátrica não é uma alternativa para quem está somente acima do peso. Além disso, não basta apenas querer fazer a cirurgia. É preciso passar por exames e consultas com vários especialistas.

Afinal, trata-se de uma cirurgia complexa, que muda por completo a vida do paciente. “O pré-operatório consiste em avaliação em consultório, exames, avaliação cardiológica, pneumológica, psicológica, nutricional e fisioterapêutica. Seguindo as orientações do pré e pós-operatório, é possível perder de 30% a 40% do peso”, afirma Darlan.

“Sinto que nasci novamente”

A recepcionista Vanessa Citadin da Rosa, 27 anos, convivia com os quilos a mais desde criança. “Sempre fui gordinha. Isso me incomodava muito, tinha apelidos na escola e sonhava em ser magra”, conta. Na fase adulta, os problemas de saúde começaram a aparecer, como pressão alta, dores nas costas e falta de ar.

Em janeiro, quando a balança apontava os 105 quilos, ela tomou a decisão que mudaria a sua vida. “Com o apoio incondicional da família, resolvi fazer a cirurgia. Tudo foi muito tranquilo”, relata. Hoje, seis meses depois, Vanessa pesa 70 quilos. “Estou bem melhor. Consegui caminhar com facilidade e minha autoestima melhorou 100%”, comemora.