Ele nasceu em 12 de abril de 1939 na Cidade Azul. Membro de uma família tradicional no setor de comunicação, desde cedo se interessou pela atividade jornalística

Tubarão

Arnaldo Lopes morreu na madrugada desta sexta-feira (3), aos 77 anos, no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. O velório ocorre na Capela Mortuária Santa Albertina, ao lado do Clube Cidade Luz. A missa será realizada no mesmo local, às 16 horas, seguida do sepultamento no Cemitério Horto dos Ipês.

Ele deixa seis filhos, 12 netos e dois bisnetos. Arnaldo é irmão do ex-radialista e ex-vereador de Tubarão, Álvaro Lopes, que faleceu em agosto do ano passado.

Arnaldo Lopes nasceu em 12 de abril de 1939 na Cidade Azul. Membro de uma família tradicional no setor de comunicação, desde cedo se interessou pela atividade jornalística e participou da imprensa sul catarinense. Atuou como repórter, locutor e analista político na Rádio JK Santa Catarina de Tubarão, Rádio Difusora de Urussanga (hoje Marconi) e Rádio Guarujá de Orleans, onde exerceu a função de diretor-proprietário.

Também foi diretor-proprietário dos jornais Correio do Sul, de Tubarão, e Folha da Semana, de Orleans. Em 1986, atraído pela era da informática, resolveu se dedicar à nova tecnologia e tornou-se autodidata em análise de sistema e programador.

Trabalhou como professor de computação de dados na Escola Particular de Informática e fundou uma empresa de assessoria. Posteriormente assumiu o CPD das empresas Global de Cocal do Sul. Arnaldo Lopes ingressou na literatura mística em 1986, quando examinando as profecias, descobriu existir uma estreita relação no sentido simbólico entre elas.