Wagner da Silva
Rio Fortuna

O presidente da Apae de Rio Fortuna, Dário Schuelter, participa hoje à noite da sessão da câmara de vereadores onde esclarecerá o auxílio que a instituição recebe da prefeitura para a contratação de profissionais e a folha de pagamento da instituição.

Os questionamentos sobre a forma de contratação, os vencimentos e o convênio com a prefeitura foram apresentados pelo vereador Celito May (PMDB) na última sessão. Segundo ele, o fisioterapeuta possui 30 horas no município e, além do salário na rede pública, foi contratado para outras 16 horas na entidade.
O vereador não foi localizado para comentar o assunto, mas, conforme a presidenta do legislativo, Arlete Bloemer de Souza (PT), que participou de uma reunião com a diretora da Apae, Maria Salete Vandresen Froese, a informação que deve ser cruzada é se houve diminuição no quadro de horas no município. “Neste caso, devemos tomar as medidas necessárias, pois o município fica onerado”, observa Arlete.

Para a diretora da Apae, a entidade apenas valoriza a equipe e preenche o que é determinado em lei. Maria Salete afirma que, no último ano, o fisioterapeuta era cedido pela administração. Porém, com a lei de responsabilidade fiscal, este ano o contrato não foi renovado, mas passou de R$ 2 mil para R$ 3,5 mil.
A presidenta reitera ainda que 70% do repasse da prefeitura é destinado ao pagamento de salários. “Nossa demanda aumentou e tivemos que buscar uma solução”, garante.