Representantes da prefeitura de Capivari e do consórcio responsável pelo lote 25, reuniram-se ontem para avaliar a situação e  buscar uma solução para minimizar o problema
Representantes da prefeitura de Capivari e do consórcio responsável pelo lote 25, reuniram-se ontem para avaliar a situação e buscar uma solução para minimizar o problema

Capivari de Baixo

 
Assim como ocorreu em Tubarão, quando a duplicação da BR-101 mudou o escoamento das águas da chuva – algo inevitável para a conclusão das obras -, em Capivari de Baixo a comunidade do bairro Vila Flor é uma das mais impactadas com alagamentos. 
 
Isto porque, com o avanço das obras do viaduto duplo de acesso principal ao município, os canais de drenagem nas ruas laterais à rodovia foram direcionadas para uma rede de esgoto, que já não suporta mais o fluxo de água. Em alguns pontos, a drenagem passa por baixo de casas e, quando alaga, tudo fica muito complicado.
 
Ontem de manhã, representantes da prefeitura e do consórcio Araguaia/Emparsanco/Blokos, responsável pela duplicação da BR-101 no lote 25 (entre Capivari e Laguna), reuniram-se para tentar chegar a uma solução paliativa.  
 
O primeiro passo será a realização da topografia do local mais afetado, para definir o que poderá ser feito para minimizar os efeitos da obra. O serviço será feito por engenheiros do consórcio. “Vamos acompanhar de perto e cobrar agilidade, já que a temporada de verão e de chuvas está para chegar”, promete o diretor administrativo da prefeitura, Pedro Ximingo.