Wagner da Silva
Braço do Norte

Apesar do abastecimento de água ter sido normalizado durante o fim de semana em Braço do norte, especialmente nas comunidades posicionadas em locais mais altos da cidade, a equipe da Casan ainda trabalha para os vazamentos que culminaram na falta do líquido por mais de cinco dias na semana passada.

Desde segunda-feira, três rompimentos que podem ter causado a falta de água foram encontrados e consertados. Com isso, a agência regional da estatal estuda a possibilidade de diminuir a vazão da captação para a estação de tratamento, aumentada para garantir a chegada do líquido às casas.

Até então, a vazão d’água era de 50 litros por segundo. Agora, está em 67 litros por segundo. Caso não ocorra mais nenhum problema, é sinal que os vazamentos consertados eram os que provocaram a falta de água. Caso contrário, as equipes continuarão a percorrer toda a rede para descobrir onde está a falha.

O gerente interino do órgão no município, Klaiber Correa Clarinda, informa que a diminuição da vazão será feita para não comprometer o equipamento, principalmente as bombas que impulsionam a água até a estação de tratamento. “Precisamos manter o controle da situação, mas sem comprometer a rede. A medida foi tomada para restabelecer o abastecimento. Agora, precisamos pensar em garantir a vida útil do equipamento. O município não passará pelo problema novamente”, assegura Klaiber.

Com a normalização no abastecimento, a Casan dispensou as equipes de outros municípios que trabalharam na última semana. Além dos profissionais da regional em Braço do Norte, apenas o técnico em vazamentos Elmo Andrada, de Imbituba, permanece no município para ajudar em qualquer eventualidade. “Vamos seguir com a vistoria para garantir o abastecimento”, adianta o gerente interino da Casan.