A coordenadora do programa de imunização Janete Zandomênico alerta sobre a importância de guardar as carteirinhas de vacinação
A coordenadora do programa de imunização Janete Zandomênico alerta sobre a importância de guardar as carteirinhas de vacinação

 

Angelica Brunatto
Tubarão
 
Quando se fala em campanhas de vacinação, as crianças sempre são o foco das atenções. Porém, muitos esquecem que adolescente, adultos e idosos também possuem um calendário específico.
 
O grande problema é que algumas pessoas não lembram onde guardaram a carteirinha de vacinação, e muitos pais esquecem de deixá-las com os filhos. 
 
De acordo com a enfermeira coordenadora do programa de imunização da 20ª gerência de saúde, Janete Zandomênico este é um problema comum. “A carteirinha é um documento e deve ser guardado como todos os outros. Hoje, para entrar na universidade, conseguir um emprego e tirar o passaporte, por exemplo, é preciso comprovar doses das vacinas já tomadas”, explica.
 
Se o adulto não recebeu a dose de alguma vacina quando criança, pode dirigir-se ao posto de saúde e pedir. Junto com a dose, é entregue uma nova carteira de vacinação, caso não possua mais a antiga.
 
Uma pessoa com até 30 anos deve ter se imunizado contra o sarampo, rubéola, caxumba (tríplice viral), tétano, difteria (dupla adulto), hepatite B e febre amarela. A vacinação desta última é exigia aos nove meses de idade em 162 cidades catarinenses onde foram descobertos o vírus. “Para viajar para estes municípios, e outros estados, é necessário tomar a dose dez dias antes de embarcar”, orienta Janete.
 
Com o intuito de diminuir o índice de mortalidade por doenças que podem ser prevenidas através de vacinação, uma campanha, em nível nacional, foi criada em 1973. Com isso, são distribuídas gratuitamente nos postos de saúde dez vacinas, que imunizam contra 13 doenças. 
 
As vacinas necessárias
• Dupla adulto (tétano e difteria) – deve ser tomada em três doses com reforço a cada dez anos.
• Tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) – devem ser tomadas duas doses até o 19 anos. Os maiores devem tomar apenas uma dose.
• Hepatite B – devem ser tomada três doses até os 30 anos.
• Febre amarela – deve ser tomada uma dose e o reforço a cada dez anos. Importante ter esta vacina caso vá viajar. A dose deve ser tomada dez dias antes do embarque.
• Influenza – os grupos de risco (crianças entre seis meses a menores de 2 anos, gestantes, trabalhadores na área da saúde e idosos) devem tomar esta vacina anualmente. É distribuída nos postos apenas durante o período de campanha, que neste ano ocorre entre os dias 5 e 25 do próximo mês. Em período do ano, a dose é paga.