Inseridas nas comunidades onde atuam, as cooperativas desenvolvem projetos para valorizar o seu consumidor. A Cergal é um exemplo: promove ações em escolas nas cidades em que atende.
Inseridas nas comunidades onde atuam, as cooperativas desenvolvem projetos para valorizar o seu consumidor. A Cergal é um exemplo: promove ações em escolas nas cidades em que atende.

Tubarão

 

Há diversas definições sobre o que é cooperativismo. Trata-se de um movimento econômico e social, entre pessoas, em que a cooperação baseia-se na participação dos associados, nas atividades econômicas com o objetivo de atingir o bem comum e promover uma reforma social dentro do capitalismo.
 
Hoje, o cooperativismo atinge os mais variados segmentos do mercado, desde a saúde até o ramo de energia elétrica, crédito e agricultura. O benefício, além dos aspectos trabalhistas, também é observado para você, o consumidor final.
No estado, as primeiras experiências ocorreram no meio rural. Nas décadas de 40 e 50, foram ampliando-se para demais áreas. Santa Catarina, em 1995, tinha 192 cooperativas e mais de 300 mil cooperados, incluindo familiares. Hoje, o número de cooperados equivalente a 25% da população catarinense.
 
Em Tubarão, um dos exemplos de associação que deu certo é a Cooperativa de Eletrificação Anita Garibaldi (Cergal). Entre as conquistas, está a certificação ISO 9001:2008, garantida no início deste ano pela primeira vez. A empresa passou por rigorosas auditorias da certificadora BRTÜV – Avaliações de Qualidade.
 
Além do reconhecimento quanto à qualidade de seus serviços, a certificação da Cergal atesta que o trabalho em equipe é a melhor forma para alcançar o sucesso.
 
Inserção comunitária é evidenciada
Neste sábado, Dia do Cooperativismo, as empresas espalhadas pelo país têm muito o que celebrar. Mas uma cooperativa não vive apenas da prestação de serviço. Inseridas fortemente na comunidade nas quais atuam, estas empresas sempre promovem ou são parceiras de ações que envolvam as pessoas. Em Tubarão, a Cooperativa de Eletrificação Anita Garibaldi (Cergal), por exemplo, realiza vários projetos durante o ano. 
 
Um deles é o Cergal nas Escolas, que visa conscientizar as crianças sobre economia de energia e preservação do meio ambiente. Nesta ação, os alunos têm uma tarde diferente e muito animada, com o teatro realizado pelos mascotes da cooperativa: Cergalito e Cerlegal.
 
Além disso, materiais didáticos, como réguas, cadernos, lápis e borracha, e uma revistinha em quadrinhos, que conta com um jogo de tabuleiro e adesivos, também são entregues aos pequenos. Outra idealização da empresa é o Projeto de Eficiência Energética (PEE), feito em conjunto com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).
 
O objetivo é conscientizar os consumidores e associados sobre o consumo responsável de energia e os benefícios que isso traz à vida de todos. A ação visa ainda auxiliar os associados de baixa renda na redução de seus gastos, com doações de lâmpadas e refrigeradores novos.
 
Em abril deste ano, a Cergal doou 82 geladeiras e inúmeras lâmpadas fluorescentes. Uma cartilha explicativa também foi entregue aos associados. No conteúdo, dicas para evitar o desperdício de energia e para economizar com os aparelhos eletrodomésticos.
 
O fruto mais doce da Revolução Industrial
O cooperativismo surgiu no século 19, em plena Revolução Industrial. Atraídos pelas novas fábricas, os camponeses migraram para a cidade. O excesso de mão-de-obra daí resultante fez com que as pessoas tivessem que se submeter a ocupações sem as menores condições: jornadas de trabalho mais de 14 horas e salários miseráveis. Além disso, mulheres e crianças também ingressaram no mercado de trabalho em condições ainda piores. Em 21 de dezembro de 1844, foi fundada a primeira organização associativa, nos arredores da cidade de Manchester, na Inglaterra.